O crescente número de casos de Doenças Sexualmente Transmissíveis no Brasil

De acordo com uma pesquisa realizada pelo portal de notícias G1, o maior número de pessoas que sofreram com a transmissão de DST’s (Doenças Sexualmente Transmissíveis) está rodeada entre os jovens de 15 a 19 anos de idade, e isso se dá muito pela crença que de existe tratamento e as mesmas não são causas de morte. O que na verdade não passa de um grande engano, pois seja o vírus HIV, a Gonorreia e a Sífilis são meios de contrair uma série de outras doenças que podem causar a morte de um indivíduo.

De acordo com a pesquisa, no caso do HIV, o número de novos casos teve um aumento absurdo entre o período de 2007 e 2017, a qual mostrou um avanço de 140%, a qual havia 6.862 infectados e em 2017 esse número aumentou para 16.371, por meio de dados obtidos através do Boletim Epidemiológico de HIV/Aids liberado pelo Ministério da Saúde. E em especificamente, entre os jovens do sexo masculino, de 15 a 19 anos, esse número chegou aos absurdos 590% de aumento, o que demostra o total de descaso com a doença numa época em que a informação está a um passo da mão.

O caso de pessoas que contraíram Sífilis, assim como todas as DST’s teve um aumento, em específico nas mulheres grávidas, que foi de 133%, a qual os bebês recém-nascidos acabaram contraindo a mesma doença teve um crescente de 60%. Sendo todos esses dados veiculados por meio do Ministério da Saúde no mesmo período analisado. E o mais perigoso desse balanço desastroso de casos de doenças transmitidas por meio das bactérias Neisseria gonorrhoeae, Chlamydia trachomatis e Mycoplasma genitalium em que ao serem tratadas com o uso dos antibióticos comumente utilizadas para as mesmas, tem sido evidenciado que não tem surtido efeitos. Por isso estão sendo propostos novos estudos para o lançamento de novas substâncias cada vez mais fortes para o tratamento, no qual é o corpo humano que acaba sofrendo com métodos cada vez mais fortes e com sérios reações adversas e até possivelmente não haver soluções para casos em que houver mutações das bactérias e isso resultar em morte dos pacientes.