Foram descobertos quarenta genes ligados a inteligência

Pesquisadores afirmam que encontraram 40 novos genes ligados à inteligência, mas dizem que sua descoberta não mostra nenhum padrão genético claro para a inteligência. Em vez disso, ele mostra que a inteligência é possivelmente ainda mais complexa do que qualquer um pensava, e não facilmente explicada. E isso significa especialmente que projetar bebês inteligentes não está em um futuro próximo.

O estudo apontou para 52 genes que influenciam a inteligência, alguns deles previamente identificados. No entanto, eles representam menos de 5% da variação na inteligência humana, a equipe de pesquisa relata na revista Nature Genetics.

Muitos dos genes possuem outros papéis conhecidos, embora a maioria esteja envolvida no desenvolvimento do cérebro, descobriu a equipe internacional de pesquisadores. “Essas descobertas proporcionam uma nova visão da arquitetura genética da inteligência”, escreveu em seu relatório a equipe, liderada por Danielle Posthuma, da VU University de Amsterdã .

Eles estudaram bancos de dados cobrindo mais de 78 mil adultos e crianças – todos eles de ascendência europeia. Estes incluíram o BioBank da Grã-Bretanha, que contém amostragem e análise de genomas inteiros de uma variedade de voluntários, bem como um banco de dados de pessoas excepcionalmente inteligentes e alguns estudos de gêmeos.

Eles usaram dois tipos diferentes de análises genômicas para identificar genes associados à inteligência, observando todos os genes no mapa do DNA humano. Em geral, eles identificaram 52 genes, incluindo 40 que não tinham sido ligados com a inteligência antes.

“Nós mostramos que os genes identificados são predominantemente expressos no tecido cerebral, e a análise de via indica o envolvimento de genes que regulam o desenvolvimento celular”, afirma a equipe.

E embora 52 genes pareçam muito, eles apenas explicam uma pequena parte das diferenças de inteligência entre uma pessoa e outra. “Nossos cálculos mostram que os resultados atuais explicam até 4,8% da variação na inteligência”, escreveram.

Genes representaram cerca de 70% da variação nos níveis de educação entre as pessoas estudadas, a equipe descobriu. Outros estudos mostraram que até metade da inteligência de uma pessoa é herdada, o que deixa metade para outros fatores.

Alguns dos genes são interessantes. Um, chamado SHANK3, está envolvido na formação de sinapses – as conexões entre as células cerebrais. “Mutações nesse gene são uma causa de distúrbio do espectro do autismo, que é caracterizada por deficiências na interação social e comunicação, e padrões comportamentais e interesses restritos. Mutações neste gene também causam esquizofrenia tipo 15”, escreveu a equipe.

Várias versões de outro, chamado FOXO3, estão ligados à morte das células cerebrais. “Além disso, mostrou-se associado à longevidade”, afirmou a equipe. Outros estão associados à obesidade e à doença de Alzheimer. Pode levar muitos anos para provocar todas as várias formas desses genes e como eles afetam a inteligência, outros traços e doenças.

Os cientistas sabem que só muito raramente existe um único gene para qualquer traço humano. Mutações em um único gene causam fibrose cística, por exemplo, e algumas outras doenças raras. Normalmente, traços como cor dos olhos, cor da pele e altura são afetados por um número de genes e por outros trechos de DNA.