O crescente número de casos de Doenças Sexualmente Transmissíveis no Brasil

De acordo com uma pesquisa realizada pelo portal de notícias G1, o maior número de pessoas que sofreram com a transmissão de DST’s (Doenças Sexualmente Transmissíveis) está rodeada entre os jovens de 15 a 19 anos de idade, e isso se dá muito pela crença que de existe tratamento e as mesmas não são causas de morte. O que na verdade não passa de um grande engano, pois seja o vírus HIV, a Gonorreia e a Sífilis são meios de contrair uma série de outras doenças que podem causar a morte de um indivíduo.

De acordo com a pesquisa, no caso do HIV, o número de novos casos teve um aumento absurdo entre o período de 2007 e 2017, a qual mostrou um avanço de 140%, a qual havia 6.862 infectados e em 2017 esse número aumentou para 16.371, por meio de dados obtidos através do Boletim Epidemiológico de HIV/Aids liberado pelo Ministério da Saúde. E em especificamente, entre os jovens do sexo masculino, de 15 a 19 anos, esse número chegou aos absurdos 590% de aumento, o que demostra o total de descaso com a doença numa época em que a informação está a um passo da mão.

O caso de pessoas que contraíram Sífilis, assim como todas as DST’s teve um aumento, em específico nas mulheres grávidas, que foi de 133%, a qual os bebês recém-nascidos acabaram contraindo a mesma doença teve um crescente de 60%. Sendo todos esses dados veiculados por meio do Ministério da Saúde no mesmo período analisado. E o mais perigoso desse balanço desastroso de casos de doenças transmitidas por meio das bactérias Neisseria gonorrhoeae, Chlamydia trachomatis e Mycoplasma genitalium em que ao serem tratadas com o uso dos antibióticos comumente utilizadas para as mesmas, tem sido evidenciado que não tem surtido efeitos. Por isso estão sendo propostos novos estudos para o lançamento de novas substâncias cada vez mais fortes para o tratamento, no qual é o corpo humano que acaba sofrendo com métodos cada vez mais fortes e com sérios reações adversas e até possivelmente não haver soluções para casos em que houver mutações das bactérias e isso resultar em morte dos pacientes.

 

Cientistas descobrem composto que pode evitar a metástase cancerígena

Quando um paciente diagnosticado com um tipo de câncer tem uma metástase, os médicos costumam dizer que ele está em sua fase terminal. A metástase é quando as células cancerígenas que estavam em um órgão acabam se espalhando e atingindo outras partes do corpo, gerando outros canceres.

Até hoje a ciência não tinha descoberto uma forma de parar, regredir ou evitar a metátese, mas uma pesquisa publicada na revista cientifica Nature Communications divulgou que cientistas conseguiram “congelar” células cancerígenas, a fim de que elas não se movimentem e consequentemente, evite o surgimento de uma metástase.

A descoberta dos cientistas é uma luz no fim do túnel para a cura de pacientes com a doença e gerou notícias em todo o mundo, pois o tratamento seria muito mais eficaz e a cura mais rápida. Os cientistas realizaram vários testes com a molécula KBU2046 em canceres de mama, colo retal, pulmão e próstata.

O professor de oncologia do Instituto norte-americano OHSU Knight Cancer, Raymond Bergan, declarou que o estudo é uma inovação, pois todos os estudos e tratamentos até hoje só se focam em matar o tumor, mas não em evitar que as células cancerígenas se espalhem.

A ideia não é acabar com o tratamento convencional, mas usar os dois em prol do paciente. Assim, um evita a metástase, o que impede que o paciente entre em fase terminal, e o outro mata as células cancerígenas, a fim de que o paciente se cure.

A ideia promissora precisa de US$ 5 milhões (pouco mais de R$15 milhões) para que a pesquisa progrida e realize testes em seres humanos pelos próximos dois anos, conforme é de praxe para um tratamento ser autorizado legalmente e introduzido em hospitais de todo o mundo.

Por se tratar de uma descoberta muito importante, é provável que o estudo ganhe doações para seguir em frente, já que o sucesso dos testes em humanos seria um marco na medicina na luta contra o câncer. Em todos os países em que a notícia da publicação chegou, gerou muitas expectativas positivas.

Como tratar o câncer de próstata?

A próstata nada mais é do que uma glândula, que produz o esperma, liquido que contem nutrientes e levam os espermatozoides ao óvulo. Este órgão esta próximo da bexiga, e da mesma sai a uretra que atravessa a próstata e o órgão masculino. Isto faz com que qualquer enfermidade que afete a próstata, cause problemas na uretra e também na bexiga.

O câncer de próstata acomete principalmente homens idosos, mas também pode acontecer por conta do histórico familiar, hormônios, além do sedentarismo, excesso de peso e hábitos alimentares ruins.

O câncer de próstata em geral não causa sintomas em seu inicio, pois se desenvolve de maneira lenta. Quando a doença começa a se desenvolver de maneira mais rápida, e alcança um estágio avançado o individuo tem a sensação de não conseguir esvaziar a bexiga, sangue na urina e em alguns casos dificuldade para urinar. Quando a enfermidade se encontra em um nível gravíssimo é possível que o individuo sinta dor óssea, em especial nas costas.

As notícias desta enfermidade pode ser feito por meio do toque no reto, mas também pode ser feito em laboratórios, por meio do PSA. Quando os níveis de PSA ou a glândula é considerada muito grande, é feita uma biópsia para que constatar se o tumor é benigno ou maligno. Dependendo do resultado, outros exames laboratórios podem ser solicitados para comprovar se houve metástase e detectar seu tamanho.

O tratamento desta enfermidade depende de cada individuo, e o tamanho e se é maligno, além da idade também ser avaliada. A remoção da próstata , radioterapia, hormonoterapia, além do uso de certos medicamentos. Para pacientes com idade mais avançada outros tratamentos são considerados, como o acompanhamento clinico mais leve.

As principais recomendações se baseiam na prevenção em um primeiro estante, é necessário que a partir dos 50 anos exames rotineiros sejam feitos. Homens com um número de PSA com 2,5 ng/Ml devem fazer os exames de maneira anual, ou de 2 em 2 anos.

E é necessário se lembrar de que uma alimentação saudável e a pratica de exercícios físicos são recomendações para evitar não só esta doença, como inúmeras outras.

Segundo pesquisa 47% dos britânicos gostariam de outro referendo

O jornal “The Guardian” divulgou uma pesquisa que foi realizada e que mostrou que 47% dos britânicos, gostariam de que houvesse outro referendo para tratar sobre a saída do Reino Unido da União Europeia (UE). Outros 34% dos britânicos são contrários à abertura das discussões sobre o Brexit.

Sem contar com os indecisos, foram 58% dos britânicos que gostariam de um outro referendo e 42% são contra, segundo os dados apurados na pesquisa que foi feita pela empresa ICM.

Notícias revelam que os resultados apontados pela pesquisa mostram que existem cidadãos, que gostariam que houvesse outra oportunidade de perguntar novamente aos britânicos favoráveis de ambos os lados da questão, se eles desejam que o Reino Unido permaneça fazendo parte do bloco europeu, como também aqueles que desejam a sua saída do bloco.

De acordo ainda com a ICM, mesmo os britânicos que votariam pelo Brexit, cerca de 25% deles, gostariam de que houvesse um outro referendo, logo depois que o governo através da sua primeira-ministra Theresa May, conseguir firmar um acordo com a capital belga, sobre as condições da futura ligação entre as partes interessadas.

Representantes britânicos esperam fazer um acordo amplo com a União Europeia, para que o Reino Unido permaneça fazendo todos os seus negócios com os menores impedimentos possíveis com os países que fazem parte da União Europeia, mesmo depois da sua saída oficial do bloco, marcado para o dia 29 de março de 2019.

Quando foi realizado o referendo para tratar sobre o Brexit em junho de 2016, ele venceu depois que 51,9% das pessoas que votaram, optaram  pela saída do Reino Unido do bloco europeu.

Mas no final do ano passado, no mês de dezembro, a Câmara dos Comuns sancionou uma emenda que irá impor ao governo, submeter ao consentimento do Parlamento o acordo, que a primeira-ministra do partido conservador britânico, Theresa May, fechar em Bruxelas para conseguir realizar todas as providências estabelecidas nas discussões com a União Europeia.

Mulher pode restabelecer nome de solteira se ficar viúva

O Código Civil Brasileiro prevê que no casamento é possível que tanto o homem opte por adquirir o sobrenome da mulher, quanto a mulher opte pelo sobrenome do marido. Por uma questão de tradição e até um pouco de machismo que impera na sociedade, somente as mulheres costumam adquirir um novo sobrenome ao contrair casamento.

A lei brasileira também prevê que esse novo sobrenome do cônjuge pode ser acrescentado ao sobrenome natural da pessoa ou substituir um dos sobrenomes naturais, ou seja, herdados dos pais. Legalmente a forma de retirar este novo sobrenome é através do divórcio. A mera separação de corpos não garante a retirada do sobrenome.

Entretanto, as únicas formas de separação definitiva e inegável neste e em qualquer país são o divórcio e a viuvez. Como com o óbito de uma das partes não há mais o vínculo legal de compromisso cível, não há o que se falar em obrigação da viúva continuar com o sobrenome do marido, pois isso implica diretamente em seu direito à personalidade.

Pensando desta forma a Terceira Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiu fixar o direito jurídico de uma viúva que buscava recuperar o sobrenome de solteira. O pedido, entretanto, foi negado em primeira e segunda instância.

A decisão definitiva da terceira turma teve um discurso inovador da ministra Nancy Andrighi, que ressaltou o machismo por trás de tal tradição, que ainda tenta imperar nos dias atuais.

Ela ressaltou que é um direito da viúva buscar pelo restabelecimento de seu nome de solteira, seja por uma razão familiar, profissional, manutenção do nome anterior ou comprometimento de um novo relacionamento amoroso. Neste caso, a viúva quis restabelecer o sobrenome do pai, pois o mesmo ficou chateado quando ela optou pelo sobrenome do marido ao se casar na década de 80, uma época mais conservadora e tradicionalista.

A ministra salientou que não se pode continuar com a mesma visão conservadora do século passado nos dias atuais. Seu voto foi acompanho pelos colegas que concordaram com suas palavras e com a evolução do direito.

Motivação na gerência é fundamental para o sucesso

Ser CEO de uma empresa exige bastante esforço profissional, principalmente em uma empresa que faturou R$ 9,6 bilhões em 2016. A Fibria que atua no ramo de celulose conta com Marcello Castelli, 53 anos, para ser o CEO e comandar 17 mil pessoas que trabalham na companhia.

São 1 milhão de hectares de eucalipto e uma produção de 5 milhões de toneladas de celulose para gerenciar em quatro unidades, Jacareí (SP), Três Lagoas (MS), Eunápolis (BA) e Aracruz (ES).

No ano passado, o faturamento de R$ 8,6 bilhões veio das exportações para 38 países. Saber gerenciar todas as camadas profissionais na empresa envolve desde o trato com o plantador de árvores até o executivo da empresa.

Para fazer os funcionários entenderem como a companhia funciona é preciso um alto nível de conhecimento das estratégias da empresa, e também saber direcionar os funcionários com um olhar humano.

A cada três meses um treinamento é realizado em que todas as áreas da empresa e a diretoria executiva participam. O exercício consiste em colocar em perspectiva situações que a empresa encontrará pelo caminho no futuro e trazer uma visão para uma bom desempenho da situação.

A intenção é ter um planejamento cauteloso para evitar outra situação de crise econômica como aconteceu nos primeiros cinco anos da empresa. Quando os funcionários entenderam os benefícios da fusão da VCP com a Aracruz, Castelli viu que esse avanço foi essencial para que a empresa obtivesse o sucesso que alcançou hoje.

Por causa da instabilidade que existe, o treinamento tem o propósito de despertar ideias para uma possível situação desfavorável ou não.

A empresa desde 2014 está apresentando bons sinais de progresso, somente no ano passado o lucro foi de R$ 1,6 bilhão, um recorde em relação a 2015, com um aumento de 466%.

Para um executivo ser bem sucedido é necessário manter a motivação diante das dificuldades que se apresentam no meio do caminho. Um trabalho intenso que exige dedicação e persistência é fundamental para o sucesso. Progredir com novos desafios é essencial para o desenvolvimento da empresa e também para a parte pessoal que crescem simultaneamente, afirma Castelli.

Alimento canino já está sendo opção para povo venezuelano

No meio de uma crise sem precedentes que atravessa a Venezuela, a Provea, uma ONG que defende os direitos humanos, examinou supermercados na capital do país e verificou a sua precariedade de alimentos, fazendo com que os venezuelanos tenham que se alimentar de rações para frango e para cachorro. Nos últimos dias, quatro cidadãos morreram  durante saques e desentendimentos  com a polícia em virtude da falta de alimentos no país, elevando para sete o número de pessoas que morreram nos últimos quinze dias.

 

Em uma declaração ao jornal O Estado de S. Paulo, um dos diretores da ONG, Carlos Patiño, disse que depois de comentários sobre o povo estar comendo rações para animais, a ONG visitou supermercados da capital venezuelana no final de dezembro e no início de janeiro. O que a ONG verificou foi que realmente um tipo de embutido congelado feito para alimentar cachorros, estavam nas prateleiras das lojas onde deveriam estar alimentos para a população de Caracas. Os membros da ONG questionaram as pessoas que estavam comprando os alimentos para cães, e ouviram que eles estão preparando esse alimento com ovos e outras pessoas estão misturando uma espécie de papa do alimento com arroz, tentando disfarçar o gosto.

 

Segundo o diretor da ONG, as pessoas estão se alimentando de um tipo de salsicha para cães, feitas com partes do frango que não se devem comer, como penas, ossos triturados, cartilagem e pele. A ONG conversou com alguns médicos sobre o assunto, e a opinião de todos foi unânime em relação a esse alimento, dizendo que a sua ingestão é muito arriscada, já que a sua preparação não obedece aos critérios de higiene exigidos na fabricação dos nossos alimentos.

 

Patiño ainda confirmou que também rações para galinhas estão sendo ingeridas pelo povo venezuelano, no lugar do arroz, porque a ração é mais barata e rende mais. Na Venezuela é cada vez mais frequente as declarações de pessoas, que não estão conseguindo mais comprar alimentos para a sua família.

 

A crise que o país está atravessando não é somente gerada pela falta de alimentos. Os valores dos produtos no país chegaram em um nível, que a maioria da população não consegue mais adquirir os alimentos. Como por exemplo o açúcar, que um quilo em média sai por 155 mil bolívares, e o salário mínimo do país é 456 000 bolívares.