São Paulo fecha parceria para receber medicamentos gratuitos

Depois da prefeitura afirmar que vai fechar as farmácias em seus postos de saúde, o prefeito João Doria noticiou em entrevista que 165 tipos de remédios serão distribuídos nas farmácias particulares de São Paulo. Decisão foi tomada depois do município conseguir firmar um acordo com 12 empresas da indústria farmacêutica.

A medida faz parte do projeto de Doria que visa firmar diferentes parcerias com a rede privada para conseguir através de doações melhorar diversos setores em carência da cidade mais populosa do país.

João Doria confirmou que já fechou cerca de 10 acordos diferentes que receberão financiamento privado. Entre eles a limpeza da Ponte Estaiada e a reforma dos banheiros públicos no Parque Ibirapuera.

Em pronunciamento realizado pelo secretário da saúde Wilson Pollara e pelo prefeito Doria, ficou noticiado que para a realização da medida o governo estadual concederia a isenção da taxa de ICMS (imposto sobre a circulação de mercadorias e serviços). Em resposta, a Secretaria da Fazenda afirmou que não sabe a quantidade de remédio que será doada, portanto não faz ideia de quanto deixará de arrecadar aos cofres públicos com a isenção.

Pollara afirmou que o método burocrático brasileiro dificulta muito o bom funcionamento do sistema de saúde. Comprar os medicamentos é muito complicado e existem muitas falhas na entrega do produto. Por esses e outros motivos é muito difícil encontrar os remédios nas farmácias públicas. O novo projeto procura facilitar tudo. Fidelizar parcerias com o município, tornando principalmente as empresas paulistanas mais participativas no processo de transformação da cidade.

Um dos motivos da mudança é tentar economizar recursos públicos. Com o fechamento das farmácias públicas, o município não terá mais que arcar com a distribuição, ficando a cargo das empresas farmacêuticas.

Jornalistas afirmam que o modelo é uma releitura do programa Farmácia Popular criado em 2004 durante o primeiro governo Lula. O programa procurava inicialmente ajudar o cidadão a obter os medicamentos para as doenças mais comuns através de um preço mais acessível.

Com todas as dificuldades que a cidade de São Paulo tem enfrentado, fazer com que empresas privadas patrocinem alguns dos inúmeros gastos se tornou o carro chefe do gerenciamento Doria.

João Doria é um empresário e comunicador paulistano de sucesso que já trabalhou na antiga TV Tupi e na rede Bandeirantes de televisão.

Os medicamentos devem chegar as farmácias particulares a partir do dia 20 de fevereiro.