Para onde vamos? – As perspectivas para o futuro

Nós tínhamos tudo. Água em abundância, florestas, fartura de alimentos e um mundo enorme para desfrutar e viver. Aos poucos fomos querendo aumentar nossos espaços e para isso dizimamos as florestas para criar cidades, as cidades em estados e os estados em países. Nos embrenhamos pelo mundo e nos dividimos em sociedades e essas sociedades se dividiram em comunidades e assim nos distanciamos de nós mesmos.

O homem passou como um trator pelo mundo, destruindo tudo o que podia destruir para desfrutar de um progresso nocivo que avançou pelo tempo sem qualquer limite.

Hoje muitas dessas comunidades, sociedades, países, estados e cidades sofrem por tudo o que aconteceu no passado, ou melhor, por tudo o que destruímos no passado. Podemos dizer que ontem destruímos e que hoje continuamos a destruir tudo aquilo que recebemos gratuitamente.

É poluição, envenenamento das nascentes de água, desmatamentos e tantas outras coisas que inventamos para liquidar nosso sistema ambiental , nossa própria vida. Hoje muitos líderes, espalhados pelo mundo sabem que é preciso conter o ímpeto destruidor do ser humano e alargar com mais intensidade medidas que amenizem o planeta de uma destruição iminente.

De outro lado, no Brasil se insiste em “matar” cada vez mais o maior patrimônio ambiental da humanidade, a Floresta Amazônica.

Por ironia, um decreto do governo brasileiro extingue a Reserva Nacional do Cobre e Associados (Renca) para liberar assim a exploração de minérios, principalmente o ouro. Esta reserva, pasmem, é do tamanho da Dinamarca.

A exploração de minerais, trazendo consigo grandes mineradoras coloca em risco não só o meio ambiente, mas também povos indígenas que vivem naquela área, em reservas que deveriam ser protegidas.

Não podemos permitir que governos e entidades privadas possam se utilizar do nosso meio ambiente para extrair da terra, das águas, das matas lucros exorbitantes e que em nada ajudarão o povo brasileiro e o país. Isto é apenas jogo políticos e de interesses privados. Não se pode conceber no mundo atual, tanto desrespeito para com a humanidade.

É preciso protestar, e isto não só pelos brasileiros, mas por todo o mundo civilizado, uma vez que o ato do governo brasileiro mostra que o ambiente em que vivemos não vale nada em comparação ao dinheiro fácil e os lucros exorbitantes.

O Brasil e o mundo pedem socorro.

Assim não vamos para lugar algum.