Pesquisadores descobrem a “peneira de grafeno”

Existem invenções que tem o potencial de ajudar milhões de pessoas. Esse é o caso da descoberta de uma “peneira” de grafeno, que consegue separar o sal da água do mar, feita por pesquisadores da Universidade de Manchester, no Reino Unido. Essa invenção irá ajudar as pessoas sem acesso direto a água potável.

Além do diamante e do grafite, o grafeno é uma das formas cristalinas do carbono.

Essa peneira é feita com um derivado químico, o óxido de grafeno, e pode ser muito eficiente no processo de filtragem do sal. Os cientistas agora vão fazer testes comparando com as membranas já existentes de dessalinização.

Esses resultados saíram na publicação cientifica “Nature Nanotechnology”.

Descoberto em 1962, o grafeno não gerou muito interesse até ser em 2004, redescoberto pelos pesquisadores da universidade de Manchester, sendo isolado e caracterizado. Sua consistência é de uma camada fina de átomos de carbono, parecendo uma treliça hexagonal.

Com suas características nada comuns, como condutividade e força elástica, o transformaram em um dos metais mais promissores para o futuro.

Com os métodos usados até hoje, era realmente difícil e caro produzir em alta escala as barreiras de grafeno.

Com esta descoberta, o óxido de grafeno pode ser feito de maneira bem simples em laboratório.

Para aplicá-lo em um material poroso e usá-lo como membrana, é preciso estar na forma de solução ou tinta.

Para transformar a camada de grafeno permeável, é necessário fazer buracos nela, não podendo estes serem maiores que um nanômetro, senão os sais escapam por eles. Sendo necessário fazer uma membrana com um buraco muito uniforme para que ela possa ser usada na dessalinização, é muito difícil.

Essas membranas de óxido de grafeno são capazes de filtrar nanopartículas, sais de cristais maiores e moléculas orgânicas. Até agora não foi possível ser usada em sais comuns, sendo necessário peneiras ainda maiores.

Essas membranas de óxido de grafeno, em pesquisas anteriores, ficavam levemente inchadas quando mergulhadas em água, possibilitando sais menores passarem por seus poros junto com as moléculas.

Nessas novas pesquisas, eles descobriram que usando paredes feitas de resina epóxi em cada lado da membrana de grafeno, se consegue frear esse inchaço. Usando essa técnica, é possível se conseguir passar mais ou menos o sal.

Em pesquisa feita, estima-se que 14% da população do mundo terá escassez de água até 2025.

Nos países mais ricos, se investem em tecnologias de dessalinização, como meio de diminuir as causas dos efeitos da mudança climática, que faz com que os reservatórios das cidades cheguem a um nível baixo de abastecimento.

No momento, no mundo, são usadas membranas feitas de  polímeros pelas usinas de dessalinização.

O próximo passo dos pesquisadores, vai ser comparar com o material mais sofisticado do momento com as membranas de óxido de grafeno.

 

Contas inativas movimentam R$ 5,5 bilhões em duas semanas

Segundo informações do Ministério do Trabalho, no último dia 31 de março, os saques referentes às contas inativas do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS), atingiram o valor de R$ 5,5 bilhões, somente no período compreendido entre os dias 10 a 24. De acordo com a pasta, mais de 3,53 milhões de trabalhadores efetuaram cerca de 6 milhões saques – isto se deve ao fato de um trabalhador poder ter mais de uma conta inativa. Levando-se em conta o mês completo, 4,8 milhões de trabalhadores efetuaram saques em março, totalizando cerca de R$ 6,96 bilhões.

Para Ronaldo Nogueira, ministro do Trabalho, a medida é importantíssima tanto para o trabalhador, como para a economia: “Esses trabalhadores, que antes não tinham acesso ao dinheiro de suas contas inativas, agora podem utilizar esse dinheiro da forma que seja mais vantajosa, tanto para quitar dívidas como realizar investimentos. É o trabalhador que vai decidir o que vai fazer com seu dinheiro”, relatou.

De acordo com a Caixa Econômica Federal, os trabalhadores que se dirigiram às agências demonstraram maior interesse em receber o dinheiro em espécie: cerca de 1,91 milhões. Por outro lado, mais de 1,62 milhões de pessoas preferiram que o valor fosse depositado em contas bancárias. Ao todo, foram mais de R$ 2 bilhões em depósitos.

Primeira semana mais movimentada

Na comparação entre as duas semanas, houve drástica redução no volume de saques de uma semana para outra. Na primeira, foram efetuadas 5.541.723 retiradas, enquanto na segunda, apenas 459.061.

Mais de R$ 11 bilhões no próximo mês

Os primeiros beneficiários a ter direito ao saque são os nascidos nos meses de janeiro e fevereiro. Os trabalhadores que nasceram em março, abril e maio começarão a efetuar os saques a partir de dez de abril. Ao todo, o novo lote de favorecidos é composto por 7.731.441 de pessoas, sendo o montante disponível para saque de R$ 11,23 bilhões.

Segundo o coordenador-geral do FGTS, Bolivar Moura Neto, todos os beneficiados terão o direito de retirar o dinheiro até a data final do cronograma, que encerra em 31 de julho.

 

Marcio Alaor do BMG, informa sobre evento para estimular as relações econômicas entre Brasil e Suécia

O presidente Michel Temer e o rei da Suécia, Carl Gustaf XVI, se reuniram recentemente em São Paulo para um encontro com o objetivo de reforçar os laços comerciais e as relações entre os dois países. O encontro aconteceu durante o Fórum de Líderes Brasil-Suécia, o qual reuniu cerca de cinquenta autoridades e empresários brasileiros e suecos no Palácio dos Bandeirantes, reporta o vice-presidente executivo do Banco BMG, Marcio Alaor.

Em seu discurso de encerramento, Michel Temer reforçou a existência de uma dinâmica importante na relação entre a Suécia e o Brasil, e também a “associação estratégica” que existe entre os países nos segmentos da aeronáutica e defesa. Como exemplo, ele citou a compra dos 36 aviões militares modelo Gripen NG da empresa sueca Saab feita pelo Brasil há alguns anos.

Segundo Temer, atualmente já atuam no mercado brasileiro mais de 200 empresas suecas, e o país espera que esse número continue aumentando nos próximos anos. Aproveitando o tema, ele citou que as perspectivas econômicas do país avançam para um período mais favorável e atrativo para os investimentos privados, informa o executivo do Banco BMG, Marcio Alaor.

A economia do Brasil teve uma retração de 3,8% no ano de 2015, o pior resultado em mais de 20 anos, e de 3,6% em 2016, tendo assim dois anos seguidos de queda no desempenho econômico, fato este que não acontecia desde os anos 1930. Também presente no evento, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin destacou a importância que o estado possui nas relações entre o Brasil e a Suécia, contribuindo para cerca de 40% dos laços comerciais que existem entre os dois países.

De acordo com o governador, em São Paulo as empresas suecas possuem um extenso apoio para que consigam desenvolver os seus produtos, através de uma tecnologia de ponta e do suporte governamental. Ressaltou ainda que, nesse momento em que o Brasil começa a se reabilitar economicamente, isso pode ser bastante vantajoso para ambos os países, noticia Marcio Alaor, executivo do Banco BMG.

Já a esposa do governador, Lu Alckmin, ficou encarregada de encontrar a rainha da Suécia e lhe apresentar algumas das principais ações sociais desenvolvidas pelo Fundo Social de Solidariedade do Estado de São Paulo, instituição que ela atua como presidente.

Ainda na agenda dos monarcas suecos em sua visita ao Brasil está uma participação no Fórum Global da Infância, juntamente com o presidente Michel Temer e a primeira dama Marcela Temer. Essa é a primeira vez que a iniciativa será realizada em uma cidade da América do Sul, sendo considerado um evento importante para a cidade de São Paulo, informa o executivo do Banco BMG, Marcio Alaor.

Antes de voltarem para a Suécia, os monarcas europeus também irão visitar o Centro de Projetos e Desenvolvimento feito para os caças modelo Gripen, que fica na cidade de Gavião Peixoto. O presidente Michel Temer também irá oferecer um almoço especial em Brasília para homenagear o rei Carl Gustaf XVI em sua estadia no Brasil, reporta Marcio Alaor, executivo do Banco BMG.

O poder da leitura

Quando pequenos, aprendemos a ler. Começa com as vogais e evolui para as sílabas e logo a formação da palavra. Estamos rodeados de significados. A cadeira, o lápis, o caderno. Aprendemos que as coisas têm nomes e não são simplesmente nomes, são significados. Uma cadeira não é um lápis. Quando aprendemos a ler conseguimos entender todos os significados presentes no texto e mais ainda agregamos mais vocabulário ao repertório da vida. E aprender nunca é demais.

Segundo a pesquisa Retratos da Leitura no Brasil o número de leitores do país, em 2015, correspondia a 56% da população. Uma informação da pesquisa que preocupa muito a todos é saber que 30% das pessoas nunca comprou um único livro. O brasileiro lê apenas quatro livros por ano. A pesquisa foi realizada pelo Ibope a pedido do Instituto Pró-livro e ouviu mais de cinco mil pessoas, alfabetizadas ou não, esse número representa a 93% da população brasileira. O estudo mostra o panorama da leitura no Brasil. Confira abaixo três habilidades que a leitura oferece para aquele que lê:

Compreensão de mundo

Por meio da leitura podemos aprender muita coisa ao nosso redor, além de nos dar senso crítico para aquilo que vivenciamos. Descobrir sobre o universo, um autor novo da literatura, a vida de civilizações pré-históricas e outras culturas desperta em nós a criatividade e desenvolve a imaginação. Transforma o velho em novas possibilidades. Recria o antigo e expande o conhecimento. Podemos viajar através de um livro e compreendemos o mundo por ele. Lendo o mundo por intermédio de um livro podemos questionar a nossa realidade, e sermos críticos para mudar o mundo.

Fonte de lazer

É preciso de pouco para gostar de ler. Começando com um livro pequeno e aumentando gradualmente a prática podemos utilizar o hábito da leitura como prazer. Na internet encontramos muitas opções gratuitas de leitura. O ato de ler é um processo contínuo de transformação da alma, saímos diferentes depois de uma boa história. Decifrar o desconhecido lendo o mundo por meio de um livro é simplesmente gratificante. Os dados da pesquisa do Ibope são certos ao identificar que para quem lê a leitura é uma ótima fonte de lazer.

Agrega valor profissional

O mercado valoriza o profissional bem informado. O trabalho intelectual é um dos mais bem remunerados da nossa atualidade. Isso porque, aos 65 anos,um leitor acumulou muita experiência, vocabulário e conhecimento através do livro. A leitura é um apoio importantíssimo para o processo de aprendizagem em todas as idades. Segundo dados da pesquisa do Ibope existe uma relação direta no hábito da leitura com o hábito de estudar, pessoas que leem mais estudam mais. Por isso, caro leitor, leia um livro. Livros podem nos ajudar a chegar mais longe na vida profissional e sermos mais felizes.

União Europeia acredita em recomeço após Brexit

Ao contrário de Jean-Claude Juncker, membro da Comissão Europeia (CE), Donald Tusk, que atualmente preside o Conselho Europeu, vê com bons olhos a ruptura realizada pelo Reino Unido. Ainda em 2016 houve o plebiscito que decidiu por tal separação. A formalização do processo se dá por meio de uma carta mundialmente conhecida por Brexit, que foi entregue no mês de março de 2017. Tusk alegou que, embora se trate de um momento triste para o bloco, o acontecimento fortalece a união dos países remanescentes.

Quando o houve o anúncio de que o Reino Unido não desejava fazer mais parte da União Europeia (UE), ocorreu grande comoção por parte dos gestores do bloco, no sentido de não se causar alvoroço popular. A tomada de decisão fez com que muitos dissessem tratar-se de um momento propício para que os componentes restantes aprimorem seus objetivos. Aconteceu também uma espécie de tratado onde os 27 países firmaram compromissos como o de uma imigração realizada de modo humanizado, por exemplo.

Alguns projetos em pauta na UE não eram levados adiante por conta da exigência de unanimidade de aprovação dos países membros. Na última reunião houve a queda dessa regra que pode contribuir para a solução de questões que demandam urgência. Para Shada Islam, líder do Friends of Europe, um grupo que promove reflexão acerca da saída do Reino Unido, os europeus abandonaram o discurso pessimista que era comumente presente logo após a declaração de separação do bloco.

Segundo Islam, apesar da falta que o Reino Unido irá fazer, a população europeia tem acreditado que a UE recuperará o fôlego. Já Tusk explicou que os países que restaram agirão como se fossem um mesmo território diante dos trâmites do Brexit. Ele também acredita que os britânicos constituirão grandes parceiros comerciais. Estima-se que a separação se dará através de um processo que durará aproximadamente 2 anos.

Diante dos milhares de europeus que residem no Reino Unido e também dos britânicos presentes em algum país da UE, Tusk procurou tranquilizar todos os envolvidos, apesar de nenhum dos dois lados expressar claramente como será a política referente à questão humanitária dos próprios habitantes em solo estrangeiro e também dos imigrantes como os brasileiros que escolheram morar em algum desses locais. Assuntos como educação, trabalho, aposentadoria e saúde prometem aquecer as negociações do bloco até a conclusão do processo.

Os países que restarão na UE apresentarão um plano por intermédio de Tusk. Originário da França, Michel Barnier atuará como mediador da separação. As duas partes envolvidas ainda não esboçaram quais são os rumos que tomarão em relação aos problemas de caráter social. Theresa May, primeira-ministra do Reino Unido, pretende aproveitar o momento de realização dos trâmites para estabelecer de que modo ocorrerão as relações diplomáticas dos envolvidos.

Saiba mais

Com Direção de Criação de José Henrique Borghi, campanha lançada no dia da mulher causa impacto

Com Direção de Criação de José Henrique Borghi, campanha lançada no dia da mulher causa impacto

 

O dia 8 de março é especial. É o dia internacional da mulher. E o dia em que diversas pessoas, em suas próprias redes sociais, bem como veículos de comunicação, e instituições, tentam promover, de maneira mais explicita, a conscientização a respeito da violência – em todas as suas formas, seja física, psicológica ou sexual – contra a parte feminina da população.

Foi, justamente, isso que fez a agência de publicidade Mullen Lowe Brasil – antiga Borghi Lowe, fundada pelo publicitário José Henrique Borghi – quando criou a campanha para a revista Claudia, da Editora Abril, lançada especialmente no dia 8 de março. O objetivo era mesmo causar impacto.

A peça publicitária – com Criação de Jefferson Delospital, Lucas Menegotto e Demer Rios, e Direção Geral de Criação de José Henrique Borghi – trata-se de um vídeo, simples e curto, de 15 segundos. Não precisou mais para passar a mensagem desejada. “Em 15 segundos uma mulher será agredida no Brasil”, diz no vídeo que corre em contagem regressiva, em um fundo preto. A campanha associa os 15 segundos do Skip Ad no YouTube aos 15 segundos que leva para uma mulher ser agredida no Brasil.

A intenção da criação da Mullen Lowe Brasil foi usar a contagem regressiva tanto para causar certo desconforto e chamar a atenção para o assunto, quanto para incentivar a denúncia antes que outras mulheres sejam agredidas. Com o cronometro encaminhando-se para o zero, a peça publicitária ainda acrescenta a mensagem – “Seu vídeo pode esperar. Ela não. Ajude. Denuncie. Disque 180”. A Animação e Edição é de Denis Sitta.

Você pode conferir o vídeo acessando o link www.youtube.com/watch?time_continue=1&v=bqWvY1OorX4

 

Ficha Técnica do produto

Agência: Mullen Lowe Brasil

Cliente: Revista CLAUDIA

Direção de Criação: José Borghi

Direção Geral de Criação: José Borghi

Criação: Jefferson Delospital, Lucas Menegotto e Demer Rios

Animação/Edição: Denis Sitta

Atendimento: André Gomes, Marina Camargo e Martina Adati

RTVC: Patrícia Oliveira

Operações: Patrícia Venturini

Mídia: Rosana Ribeiro, Kassia Trompieri e Camila Antunes

Planejamento: Ana Luiza Santos e Isabel Nabuco

Aprovação do cliente: Andrea Abelleira e Cinthia Obrecht

 

A MullenLowe Brasil

A MullenLowe Brasil, antiga Borghi Lowe, atualmente, tem como co-CEO um dos mais respeitados publicitários brasileiros – o empresário José Henrique Borghi. Ele atua no cargo de inovação e criatividade da companhia e divide a função de Diretor Executivo com o publicitário André Gomes – este, por sua vez, opera na parte gerencial da empresa de propaganda.

José Henrique Borghi já esteve entre os publicitários mais criativos do Brasil, quando ocupou a 9ª posição da lista publicada em abril de 2015, pela revista GQ Brasil – originalmente Gentlemen’s Quarterly – dos 20 publicitários mais influentes do país.

E falando em Borghi Lowe, saiba que ela nasceu em 2002, no quintal da casa do, na época, sócio de José Henrique Borghi no negócio, Erh Ray. Em 2009, quando juntou-se ao grupo Lowe, a empresa Passou a se chamar Borghi Lowe e, devido a outras fusões, mudou novamente para a atual Mullen Lowe.

Para conquistar os consumidores, as marcas terão que estar mais próximas dos clientes e das agências, segundo especialista em marketing

As marcas estão se posicionando cada vez mais perto do consumidor através das redes sociais e se colocando de forma ciente nas grandes polêmicas decorrentes do cotidiano. “Quem quiser ser unanimidade não vai comunicar”, segundo Marcio Oliveira, líder da Lew’Lara\TBWA.

Marcio é especialista no assunto e acredita que é muito abrangente querer estar no gosto de todos e as marcas devem se concentrar em querer buscar opiniões que vão de encontro as delas. “Eu acredito em determinadas coisas. E você vai ser minha amiga se tiver interesses em comum comigo. Ao expressar essa opinião do eu acredito, qual meu propósito de vida, eu posso incomodar quem não acredita nisso. E a pessoa vai dizer que não gosta e tudo bem. O que não pode é atravessar a fronteira e ser reconhecido como alguém que está ofendendo o outro.

A tecnologia tem transformado todas as indústrias e não poderia ser diferente na comunicação, podemos observar isso no setor aéreo, podemos comprar passagens aéreas através de sites da companhia aérea e quase ninguém usa intermediação de agentes de viagens, e hoje fazendo um paralelo, tem muitas empresas comprando mídia diretamente de muitos veículos digitais sem passar pelas agências. Essa tendência tende em se acelerar com a disseminação das ferramentas de mídia programada, com a praticidade que a informática oferece hoje.

O papel das agências nesse mundo e de todas os serviços que são oferecidos que passam por um intermediário, tendem a mudar, por exemplo, um corretor de seguros perde espaço para sites especializados e serviços de busca de imóveis oferecidos pelas próprias corretoras. Outro exemplo claro é o Uber, que em pouco tempo desbancou muitos taxistas. As agências de publicidade nada mais são do que intermediárias, e devem se adaptar com a complexidade do mercado.

O que se vê hoje em dia, é que as marcas assumem características de pessoas, procurado ser “amiga” das pessoas. Pra você ser amigo de alguém você deve ter pontos fortes que atraem sua confiança e simpatia. Os assuntos hoje em dias estão se disseminando a cada segundo, na velocidade da cultura e as marcas devem acompanhar esse ritmo e procurar saber mais a opinião do público.

O grande propósito das agências é posicionar bem as marcas e para as marcas estarem em pleno contato com o cliente, é necessário uma forte parceria com a agência e isso é insubstituível. Estar abertamente em pleno contato com o público e fazer jus das estáticas é sem dúvidas os caminhos que devem ser seguidos. Estar relacionado as grandes tendência de mudanças que são geradas pelo público e que acabam gerando rapidez na difusão de notícias e opiniões, é extremamente fundamental em vista de uma posição mais fidedigna para manter esta “amizade” plena e saudável para todos os envolvidos.

 

Lei que proíbe que passageiros árabes levem aparelhos eletrônicos na bagagem de mão é comentada por especialistas

Uma das mais recentes medidas para o combate ao terrorismo do Reino Unido e dos Estados Unidos da América é a proibição de aparelhos eletrônicos como laptops ou tablets nas bagagens de mão em voos que se desloquem de alguns países do Oriente Médio ou de África. A proibição surge a partir de uma recomendação das agências de inteligência americanas que prevêem a possibilidade dos terroristas conseguirem incorporar algum tipo de bomba em dispositivos eletrônicos maiores que um smartphone. As mesmas agências acalmaram a população referindo que esta medida não foi adotada devido a alguma possibilidade de ameaça real.

No entanto, vários especialistas já comentaram esta proibição e referem a sua dúvida relativamente ao sucesso da mesma uma vez que esses mesmos aparelhos podem explodir na mesma caso sigam a bordo do avião numa bagagem, como explica o especialista Nicolas Weaver, “se você assume que um terrorista está interessado em transformar um computador em uma bomba, ela pode funcionar da mesma forma na bagagem despachada. E se você está preocupado com esse tipo de terrorismo, um celular também é um computador”

Os Estados Unidos da América pretendem aplicar esta lei a países islâmicos como o Egito, Arábia Saudita, Emirados Árabens Unidos, Kuwait, Catar, Jordânia, Turquia e Marrocos. Já o Reino Unido aplica a lei a um menor número de países como a Turquia, Tunísia, Líbano, Arábia Saudita, Jordânia e Egito. Relativamente à limitação de países, Paul Scwartz refere que esta lei pode não ser tão eficaz como os norte-americanos pensam uma vez que, “Um potencial problema com essa determinação em que você escolhe alguns países é que você ignora a extensão da ameaça do terrorismo, pois ele não está limitado a um país. Os terroristas têm celulares ao redor do mundo”.

Por sua vez, David Gomez, um ex agente do FBI e que é especialista em questões relativas ao contraterrorismo, veio criticar abertamente esta medida pois os presumíveis autores deste tipos de atentados podem contornar esta lei de várias formas para atingir o fim que pretendem. Pelo que David Gomez explica, a pessoa que pretenda realizar um ato terrorista e que seja desses países pode viajar para outro país europeu onde possa existir uma célula terrorista, adquirir o aparelho dispositivo e voar desse país europeu para os Estados Unidos da América ou Reino Unido sem essa advertência.

 

Criatividade e inovação da agência de José Henrique Borghi

É fato que uma agência de publicidade precisa de criatividade e inovação, mas também de muito planejamento, estratégia e organização, para entregar o melhor da propaganda não só para seus clientes, mas para um público de milhares de pessoas, que terão um alto impacto por determinado produto.

A responsabilidade é grande, por isso, o publicitário José Henrique Borghi nunca perdeu o foco, ao ponto de se tornar um dos publicitários mais influentes do Brasil.

Fundador da agência Mullen Lowe Brasil, José Henrique Borghi é criador de campanhas publicitárias de grande impacto, como a dos mamíferos da Parmalat, com crianças vestidas de bichos de pelúcia, que fizeram a alegria de muita gente na época.

Outra campanha de grande repercussão foi a do Sazón, que tinha como trilha sonora a famosa música “É o Amor”, da dupla Zezé Di Camargo e Luciano. A propaganda foi tão marcante, que ainda hoje as pessoas se pegam cantando a música ao usarem o tempero.

Além dessas, diversas outras campanhas de sucesso foram realizadas, garantindo a José Henrique Borghi 14 Leões de Cannes, 7 prêmios no London Festival, 10 Premiações no The One Show, 11 no New York Festival, 15 Prêmios Abril de Publicidade e 10 Clios Awards. Pra terminar, em 2009 ele foi eleito pela APP o “Publicitário do Ano”.

Mas a justificativa para esses sucessos veio de muito esforço. José Henrique Borghi fundou sua própria agência, a BorghiErh, sem nenhum tipo de investidor. O trabalho foi árduo, mas deu bom resultado, e logo foi comprada pela Lowe, se tornando em dezembro de 2006 a Borghi Lowe. Com o crescimento e visibilidade nos mercados nacional e internacional, ocorreu a fusão com a Lowe&Partners e o grupo Mullen, e recebeu o nome de Mullen Lowe Brasil.

Intitulada como uma Boutique Criativa Global, a Mullen Lowe está presente em 65 países e tem como conceito proximidade com os clientes e com a equipe.

Para ilustrar toda a força de trabalho e criatividade, a nova identidade visual é um polvo com luvas de boxe, que mostra os desafios e o novo momento da agência: mais aberta e flexível.

Os braços do polvo representam a união do trabalho, sem muros e barreiras, e as luvas representam a força e a “briga” pela satisfação do cliente.

O novo escritório também prevê a quebra de barreiras com sua arquitetura mais aberta. Sem salas individuais, os diretores e a equipe ficam no mesmo espaço físico.

Para melhorar, em 2016 a agência contratou, com perfil digital e de inovação, 8 jovens, entre estagiários, redatores, assistentes e diretores de arte. Eles integram uma equipe com talentos de cada disciplina, gerando assim oportunidades para os clientes.

É claro que José Henrique Borghi espera um crescimento ao tornar sua operação digital mais robusta. Sua intenção é captar novos clientes com um trabalho próximo, com ideias inovadoras de publicidade e que agregam no negócio, sempre fazendo entregas com agilidade.

Com tanta inovação e criatividade, a Mullen Lowe Brasil será cada vez mais referência no mercado publicitário!

 

 

Confira dicas para fazer pós-graduação no exterior

estudar exterior

O mercado de trabalho é muito exigente. Alguns anos atrás o Ensino Médio era a porta de entrada para o primeiro emprego. Nem a faculdade é suficiente mais. Atualmente é pré-requisito uma boa formação acadêmica e fluência em idiomas. Com isso, jovens recém-formados encontram dificuldades em conseguir vagas para sua área de atuação. Uma das soluções encontradas para muitos universitários é o estudo no exterior com uma pós-graduação. Além de vivenciar uma nova cultura, conhecer pessoas e lugares e ainda turbinar o currículo é uma das relevâncias da experiência internacional. A primeira questão ponderada é o planejamento. Preparar com antecedência a sua viagem é a orientação mais importante. Confira mais dicas para realizar seus estudos no exterior!

Formação acadêmica

Na universidade encontramos inúmeras oportunidades para além das disciplinas do curso. Independente da modalidade, presencial ou à distância, pública ou privada, fazer um curso superior abre portas. Por isso, aproveite ao máximo a vida na Universidade! No início de carreira a sua formação durante a faculdade, os cursos, os trabalhos feitos vão fazer muita diferença no processos seletivos. Explore todos os recursos que a universidade oferece, não fique preso a sua grade curricular e tente pegar matérias de outros cursos. Seja um bom aluno e amigo dos seus professores. No futuro, você pode se beneficiar de todas amizades feitas na graduação.

Cursos extracurriculares

Hoje, apenas uma boa formação acadêmica não é o bastante. Existem muitos cursos disponíveis na Universidade em outras áreas. Por exemplo, veja se o curso de Administração disponibiliza algo na área de empreendedorismo, os cursos de licenciatura nas próprias áreas, matemática, português e biologia. E não podemos esquecer dos cursos de idiomas. São eles que vão ajudar você, caro leitor, a conquistar o sonho de estudar no exterior. Ter um domínio intermediário da língua é pré-requisito para muitos programas de pós-graduação no exterior. Um curso de idiomas além de agregar valor ao seu currículo, oferece a oportunidade de aproveitar uma seleção de intercâmbio. Então, descubra se a sua faculdade proporciona aulas de línguas e aproveite!

Aceite o “não” e persista

Conseguir uma oportunidade de pós-graduação no exterior não é fácil. Existe muita concorrência e pouquíssimas vagas. Por isso, persistir é muito importante. Um “não” agora não desqualifica você para tentar mais uma vez. E quem sabe se aquele momento é o seu, não é mesmo? Por isso, tenha resiliência para aprender com o processo e tentar sempre mais uma vez. Boa sorte!