Homem conclui o ensino médio aos 32 anos e hoje luta contra a evasão escolar

Em uma idade onde muitos já concluíram até mesmo a pós-graduação, Máximo Ribeiro de 55 anos terminava o ensino médio, o que não o impediu de prosseguir em uma bem sucedida carreira acadêmica. Hoje diretor de escola, ele procura incentivar a volta de alunos às salas de aula, por meio de um projeto social desenvolvido no Vale do Ribeira, área onde nasceu.

Conhecida como região com um dos piores IDH (Índice de Desenvolvimento Humano), o local abriga diversas famílias que vivem da agricultura, da mesma forma como ocorreu com Ribeiro, pois desde cedo trabalhava na lavoura juntamente com o pai, que ensinou-lhe noções básicas de matemática e também o ajudou a aprender a ler, embora tivesse passado muito tempo fora da escola.

Anos mais tarde, quando mudou-se para a parte urbana do local, conseguiu trabalho em uma indústria de produtos químicos e cimento, podendo ver a chance de retomar seus estudos em uma escola que oferecia curso supletivo. Motivado, ele cursou pedagogia e matemática, fez pós-graduação em duas áreas e alcançou um MBA.

Lecionou por mais de dez anos e tornou-se diretor de uma escola de ensino infantil que vai da pré-escola até o quinto ano do ensino fundamental, na cidade de Cajati, onde pôde perceber que muitos alunos possuíam grande dificuldade em efetuar operações matemáticas consideradas básicas. Sensibilizado, o ex-agricultor tratou de buscar uma solução mobilizando toda a equipe escolar da instituição.

Certo de que os professores deveriam receber uma formação condizente com a realidade atual, ele assim o fez. Com materiais recicláveis, o então diretor promoveu atividades com o intuito de tornar o aprendizado de matemática mais atrativo, o que acabou por recobrar o desejo de alguns alunos com grande número de faltas a frequentarem novamente as aulas de forma assídua.

A ação alcançou êxito e foi escolhida pelas fundações Lemann e Elos Educacional, duas organizações que integram o projeto Gestão para Aprendizagem, responsável por capacitar gestores de escolas.

Com disposição de adolescente, Ribeiro luta por melhores condições de ensino e busca contagiar outros professores a buscarem o mesmo para seus alunos. Como reflexo dos esforços empregados, a escola obteve média de 6,3 no IDEB (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica), um grande avanço, já que anteriormente atingira 5,9.

Saiba mais: http://bit.ly/2h4l3hQ