Conheça algumas peculiaridades acerca da gestão de Luiz Carlos Trabuco Cappi à frente do Bradesco

Em tempos onde o cenário bancário é dos mais acirrados, Luiz Carlos Trabuco Cappi adotou uma postura diferente da maioria dos outros gestores de instituições financeiras. Quando começou sua jornada na presidência do Bradesco, ele acreditou ser necessário proporcionar um ambiente que atentasse prioritariamente para a maneira como o consumidor seria recebido, estendendo esse modo de operação a todos os canais de atendimento que a organização possui. Além de estreitar os laços com a clientela, o executivo é lembrado por ter fechado um negócio bilionário.

Após uma longa negociação conduzida por Luiz Carlos Trabuco Cappi, houve o consenso por parte do conselho de administração do banco de que a compra, pela quantia de 5,2 bilhões de dólares, seria de fato realizada. Em jogo estava a aquisição de uma instituição bancária cuja dona anterior era outra empresa da concorrência. Embora o montante despendido fosse considerado alto, até mesmo para uma organização expressiva no mercado financeiro, o retorno começou a surgir para o Bradesco mais rápido do que se imaginava. Em pouco tempo os consumidores foram aumentando em número e demandando por mais produtos bancários.

Com muitas décadas de existência no cenário nacional, o Bradesco escolheu Marília, uma cidade do estado de São Paulo, para iniciar seu funcionamento. De modo coincidente, Luiz Carlos Trabuco nascia lá anos depois da inauguração da primeira agência bancária. Após fazer 18 anos, ele pleiteou uma vaga de escriturário na instituição, sendo aprovado e iniciado uma lonja trajetória dentro da mesma empresa. No início, ele procurou conciliar a vida de bancário com a de estudante universitário, frequentando as aulas na Universidade Estadual Paulista (UNESP).

Da mesma maneira como ocorreu com outros colaboradores do banco, o executivo trabalhou em setores diferentes a cada novo período de sua carreira, alcançando promoções até que entrasse na linha de sucessão da presidência da companhia. O ponto alto de sua forma de trabalhar, contudo, ocorreu quando atuou na área de seguros do grupo. Nessa ocasião, tal departamento começou a alcançar maiores percentuais de lucratividade, algo que exerceu grande influência para a manutenção da estabilidade financeira da empresa.

Na posição de presidente da instituição, Luiz Carlos Trabuco Cappi adotou a postura de lidar diretamente com os colaboradores em vias de serem promovidos. O executivo promove um encontro onde tais funcionários têm a oportunidade de expressarem quais as estratégias que terão para a empresa. Com a atenção voltada à formação de executivos, ele deu início a um centro educacional dentro da própria instituição, destinado a comportar profissionais das mais variadas áreas da companhia.

No passado, entretanto, a política do banco era a de só promover colaboradores internos aos cargos executivos. Na gestão de Luiz Carlos Trabuco Cappi, essa forma de se lidar com o quadro de pessoal foi alterada, já que o executivo optou por contratar novos talentos em outras instituições. Entre as contratações realizadas por ele, está a de Renato Ejnisman, um profissional que foi designado ao cargo de diretor-executivo. Apesar de ter reforçado sua equipe, o presidente começa a trabalhar por volta das 7 horas da manhã e só termina sua jornada diária quando conclui sua última reunião de negócios.