MEC prorroga inscrição no Sisu

Em razão de falhas de acesso no sistema online, o Ministério da Educação alterou o prazo de participação para estudantes que tenham interesse no Sisu. Originalmente, as inscrições seriam até sexta-feira, dia 27. O prazo prorrogado será até dia 29, domingo, às 23h59. O Sistema de Seleção Unificada é utilizado para o ingresso em instituições públicas, como universidades e institutos, sejam eles federais ou estaduais.

Na reta final da inscrição, muitos candidatos tiveram dificuldades na plataforma do MEC. Após a constatação, os erros foram resolvidos no site. Caso algum estudante ainda enfrente problemas durante o processo, é possível entrar em contato com o ministério pelo telefone 0800 616161 ou no contato por email, [email protected]

O Sisu tem disponíveis 238.397 vagas distribuídas em 131 instituições públicas. Cada instituição define o cálculo para a seleção de alunos. Independente da nota de corte, não é permitida a participação de estudantes com nota zero n a redação do Enem.

De acordo com o site Último Segundo, em 2016, mais de 6,1 milhões de pessoas prestaram o Exame Nacional do Ensino Médio. Desse total, 880 mil eram treineiros, ou seja, alunos que não concluíram os estudos, mas utilizaram a prova como forma de autoavaliação. Cerca de 140.294 participantes receberam nota zero na redação. Portanto, tais perfis não fazem parte da base de dados do Sisu. Mesmo assim, a concorrência é bem alta. Há ainda os estudantes que prestaram o Enem visando o Prouni, programa que concede bolsas de estudo em universidades privadas.

As notas de corte são lançadas no sistema uma vez ao dia, conforme o curso, considerando o parâmetro de cotas e a seleção universal. Enquanto as inscrições permanecem abertas, possível alterar o curso pretendido. O Ministério da Educação informa que as notas de corte são uma referência, calculadas com as notas dos estudantes que realizam a inscrição no mesmo curso e instituição. Elas são uma referência e podem mudar constantemente, conforme o cadastro de mais estudantes na mesma opção.

No dia 30, segunda feira, serão divulgados os resultados da seleção. A matrícula deve ser feita pelos aprovados de 3 a 7 de fevereiro. No caso de vagas remanescentes, outros candidatos serão chamados a partir do dia 16 de fevereiro.

 

 

2016 novo recorde de temperatura global

2016 foi o terceiro ano consecutivo a quebrar o recorde global de temperatura como o ano mais quente já registrado, algo que já era esperado. Cientistas da NASA e NOAA afirmaram que 2016 foi o ano mais quente já registrado, a temperatura da Terra ficou 0,94°C acima da média do século 20, determinada como marco zero para avaliação.

Para fazer a conta da temperatura média é evado em consideração temperatura de todo o globo terrestre. O segundo colocado como ano mais quente, 2015, teve uma temperatura de 0,9°C acima da média.

Entre os dez anos mais quentes já registrado, apenas 1998 não é do século 21, foi um ano com El Niño muito forte. O fenômeno é caracterizado pela elevação da temperatura no oceano Pacífico, alterando o clima de todo o mundo, deixando algumas regiões mais quentes e chuvosas.

O El Niño afetou muito a temperatura em 2016, sendo um dos responsáveis pela elevação da temperatura. Porém, os cientistas afirmam que a principal causa é a contínua emissão de dióxido de carbono e outros gases responsáveis pelo aquecimento global.

Também em 2016 foi o ano em que entrou em vigor o Acordo de Paris, acordo contra as mudanças climáticas cujo objetivo é manter o aumento da temperatura média mundial muito abaixo de 2°C, e ainda reúne esforços para limitar o aumento a 1,5°C.

Recordes de temperatura também foi registrado na Rússia, algumas partes chegaram a ficar 6°C acima da média histórica. No Alasca também houve um registro de 3°C positivo. Na região do Canadá foi registrada uma queimada de 590 hectares, considerada a maior. Já no Brasil, as regiões Norte e Nordeste tiveram a temperatura média mais alta. O resto do país também ficou acima da média.

O acontecimento não foi surpresa para os cientistas, pois já havia sido previsto que ocorreria o aquecimento gradual na Terra por conta da contínua emissão de gases. Pesquisadores afirmam que eventos como enchentes, furacões e queimadas é uma amostra do que virá. Como exemplo, as enchestes que atingiram São Paulo e a seca recorde do Nordeste. O aquecimento global trará impactos sociais, como um aumento de disputas, conflitos por recursos e recuo territorial por conta do avanço do mar.

Empresários ganham maior confiança, segundo CNI, como mostra Marcio Alaor do BMG

Apesar da crise econômica em que se encontra o nosso país, pode-se dizer que há uma semente de esperança brotando entre os empresários. Ao menos, parece ser essa a situação, segundo reporta o executivo do Grupo BMG, Marcio Alaor, sobre a “Sondagem Industrial”, divulgada na última sexta-feira, dia 20 de janeiro, pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). Nesta sondagem, que se trata de nada mais que uma compilação de indicadores, todos estes apresentaram alta. É que, ainda segundo a entidade patronal, verificou-se uma variação positiva nos índices de expectativa de janeiro deste ano, quando comparados com o do mês anterior, dezembro de 2016.

Marcio Alaor do BMG, ainda lembra, mais detalhadamente, quais foram os índices e suas respectivas variações quantificadas. De início, já cita o indicador de demanda, aquele cujo avanço foi de 2,8 pontos desde o último mês, quando estava em 49,1 pontos, assim atingindo os 51,9 pontos ainda no mês de janeiro. Também subiu, e na mesma quantidade de pontos, o indicador de expectativa de compra de matérias-primas, que se encontrava em 43,6 pontos, atingindo então exatos 50 pontos no mês em que foi divulgada a sondagem.

Mas a especificação não termina por aí, dado que a expectativa de quantidade exportada, antes em queda, logo negativa, voltou a subir, ficando em 2,7 pontos positivos. Assim, o mesmo indicador, quem em dezembro de 2016 estava em 49,9 pontos, passou então para os 52,6 pontos no mês de janeiro deste ano. Todavia, o executivo do BMG, Marcio Alaor, ainda recorda que, apesar da variação positiva, em janeiro de 2016, o indicador apontava 52,5 pontos. Desse modo, percebem até os leigos que a situação não é muito diferente daquela encontrada no início do ano anterior, nesse quesito em questão.

Mais além, também não deixou de reportar o executivo do Grupo BMG, Marcio Alaor, sobre a questão do número de empregados, que ainda permaneceu negativa, infelizmente, mesmo que com um leve avanço de 0,9 ponto, saindo da situação em que se encontrava no mês de dezembro de 2016, com 45,5 pontos, e assim atingindo os 46,4 pontos em janeiro. Resultado esse que, lembrando-se do mesmo índice em janeiro de 2016, mostra que não foi assim tão ruim, posto que no referido mês do ano anterior, estava o indicador em 41,3 pontos.

E, por fim, Marcio Alaor do BMG reporta ainda que aquele indicador em que, quanto maior for o seu número, maior será a intenção por investimentos, conhecido também como “indicador de investimentos”, teve também um aumento no mês de janeiro de 2017, passando dos 44,6 pontos do mês anterior, dezembro de 2016, para 45,3 pontos. Mas, dessa vez, quando comparada a pontuação do indicador no mês de janeiro de 2017 com a do mês de janeiro do ano passado, percebe-se logo de cara que a situação melhorou, pois foi há um ano atrás, de exatos 41,6 pontos. Sendo assim, ainda há alguma esperança para o empresário brasileiro, pelo que dizem os números colhidos. A situação tenderá a melhorar, com o tempo.

 

Após o sucesso de “Animais Fantásticos e Onde Habitam” J.K. Rowling está escrevendo dois livros

JKRowling

Quem imaginaria que após todo o sucesso da franquia de Harry Potter, a escritora inglesa J.K. Rowling lançaria mais livros? Depois de Harry Potter, J.K. Rowling mostrou seu estilo de escrita em diferentes histórias entre elas estão: Os Contos de Beedle, O Bardo, Morte Súbita, a peça teatral Harry Potter e a Criança Amaldiçoada e Animais Fantásticos e onde habitam. Todos esse livros causaram curiosidade por parte do grande números de leitores ao redor do mundo. A escritora conquistou uma multidão de fãs que cresceu junto com os seus livros e que não está saciada com o fim da saga Harry Potter, então já que os fãs pedem mais J.K. Rowling entregou mais.

A sua mais recente contribuição para o mundo cinematográfico se deu em “Animais Fantásticos e Onde Habitam”. O enredo dessa história se passa nos Estados Unidos 70 anos antes da história de Harry Potter. O personagem principal do livro é o magizoologista Newt Scamander (Eddie Redmayne) que desde a sua infância se interessou pelas criaturas mágicas e por isso passou a estudá-las. Um dia quando está nos Estados Unidos Newt Scamander tem alguns de seus animais soltos acidentalmente o que acaba gerando uma confusão no mundo dos no-maj (não-bruxo, ou Trouxa como descrito nos livros de Harry Potter). Após esse incidente o Congresso Mágico dos Estados Unidos passa a ter problema com Newt Scamander.

Animais Fantásticos e Onde Habitam contou com o roteiro da própria J.K. Rowling e teve sua estreia nas salas de cinemas em 17 de novembro no Brasil. Mundialmente alcançou grandes números de bilheteria arrecadando mais de 800 milhões de dólares se tornando um dos filmes com mais bilheteria do ano de 2016. O sucesso não irá parar nesse primeiro filme pois existem mais dois que serão lançados para completar a trilogia.

A sucessão de histórias contadas pela exímia escritora inglesa está a todo vapor, recentemente em sua conta no Twitter J.K. Rowling revelou que está escrevendo dois livros. A revelação aconteceu enquanto ela conversava com os seus ávidos leitores pela rede social onde sempre procura tirar as dúvidas de seus f˜ãs e animá-los com suas novidades. Antes desses dois livros J.K. Rowling havia lançado em 2015 “A Carreira do Mal” com o pseudônimo de Robert Galbraith. Em um desse seus tweets a escritora confirmou que um dos livros será escrito com o pseudônimo de Robert Galbraith enquanto o outro terá o seu próprio nome.

Pelo Twitter um dos seguidores da autora perguntou qual seria o próximo romance, ela responde que está trabalhando não apenas em um mais em dois, o que gerou uma surpresa e uma empolgação em seus leitores. Depois da resposta começaram a surgir mais perguntas e também mais respostas de J.K. Rowling. Um dos fãs havia sugerido que ela estaria escrevendo uma nova história com o personagem Newt Scamander, mas a escritora confirmou que ele não estará em seus novos contos mas sim nos novos filmes e que ainda não sabe qual de seus dois livros será lançado primeiro.

 

 Internet banda larga não terá ilimitação de franquia.

No final da última quarta-feira (12), o ministro Gilberto Kassab informou que a internet banda larga vai ser limitada ainda em 2017. Porém para a nossa alegria o presidente da Anatel (Juarez Quadros), diz que a internet banda larga continuará não havendo limites.

Kassab informou ao site Telesíntese ter entendido a informação de maneira errada, sendo assim a internet continuará da mesma forma sem limite de franquia.

Vou explicar como funciona a internet de forma limitada e ilimitada:

Internet limitada da seguinte forma: Os clientes pagam uma mensalidade fixa para usar a internet à vontade, com a velocidade que o cliente achar melhor para usufruir e também pagar. Assim os clientes usam uma internet limitada, podendo utilizar da forma que preferir sem redução de franquia.

Internet ilimitada da seguinte forma: Do mesmo modo que a internet móvel, o cliente pagará pela internet porém quando a acabar o plano (franquia) será reduzida sua internet e depois da redução, você terá a opção de pagar uma taxa extra para aumentar a franquia da internet.

Mas depois que acabar novamente sua franquia, você ficará sem acesso a internet.

Dessa forma iria atrapalhar e muito a vida daqueles que utilizam muito a internet, principalmente com muitas pessoas que dividem a mesma internet.

Limitar à internet é um retrocesso enorme, ainda mais que é um dos meios de comunicação mais utilizado pela sociedade. Hoje em dia, a internet se tornou até mais informativo que a própria televisão, rádio e jornais.

As pessoas estão muito mais conectadas no mundo virtual, com o limite de internet banda larga prejudicaria a grande maioria da população, as empresas que utilizam a internet como ferramenta de trabalho, as pessoas que trabalham em casa; seria uma medida complicada para a sociedade.

Podemos ficar felizes que no momento a internet não será limitada.

A Vivo informou que se haver limite de franquia da internet banda larga, somente os novos clientes que terá nova regra de limite de franquia, os clientes antigos continuaram usufruindo da sua internet sem interrompimento.

Ex: • Vivo Fibra 15 Mbps: franquia de 120 GB;

  • Vivo Fibra 25 Mbps: franquia de 130 GB;
  • Vivo Fibra 50 Mbps: franquia de 170 GB;
  • Vivo Fibra 100 Mbps: franquia de 220 GB;
  • Vivo Fibra 200 Mbps: franquia de 270 GB;

A Net/ Claro sempre utilizaram de franquia de internet banda larga, então não mudaria em nada.

Ex:

  • Net Virtual 2 Mbps: franquia de 30 GB;
  • Net Virtual 15 Mbps: franquia de 80 GB;
  • Net Virtual 30 Mbps: franquia de 100 GB;
  • Net Virtual 60 Mbps: franquia de 150 GB;
  • Net Virtual 120 Mbps: franquia de 200 GB;

Já operadora Tim, é a única que não seguiria esse modelo de cobrança, segundo a Tim não prevê mudanças em seus planos.

”As empresas podem optar pelos modelos de negócio que julgarem mais adequado.”

Os órgãos de defesa do consumidor começam a agir, já tem petições na internet para a população poder assinar o abaixo assinado contra a franquia de internet banda larga.

 

saiba mais

Ricardo Tosto e associados concordam: A mediação pode ser um método alternativo eficaz na resolução de conflitos de interesse

Não é de hoje que existe conflito de interesses entre indivíduos, seja de origem jurídica, ou de pessoa física. Por vezes, os conflitos acabam se resolvendo amistosamente, com as duas partes satisfeitas com a resolução. Porém, na grande maioria das vezes, o caso vai para as mãos do Judiciário e, dependendo de sua complexidade, levam anos para serem elucidados devido à grande demanda de processos a serem analisados.

O CNJ calcula uma estimativa de uns 100.000.000 de processos que estão tramitando nos tribunais do país. Em vista disso, uma alternativa inteligente vem ganhando espaço entre as empresas de maneira geral: A mediação de disputas.

Esse método inusitado vem conquistando os círculos empresarias por razões obvias: Leva menos tempo para chegar a um consenso de todas as partes, evita a burocracia do judiciário e reduz os custos envolvidos em um processo litigioso.

A mediação tem por fundamento a resolução prática do problema em questão, abordando inquirições específicas de cada parte envolvida. Quando existem questões complexas em jogo, ambos os lados tendem a entrar com uma solução imediatista para colocar um ponto final na controvérsia de maneira rápida. A mediação tenta suprir essa falta de diálogo tão necessária para resolver o problema. E o mais interessante: Essa mediação pode ser feita on-line de um jeito prático e eficaz.

O escritório de advocacia Leite, Tosto e Barros está ciente das mudanças envolvidas nesse projeto inicial. O escritório ganha cada vez mais credibilidade com o passar dos anos: No total, 25 anos já se passaram desde que Ricardo Tosto e seus associados fundaram o Leite, Tosto e Barros Advogados.

O escritório ganhou status em âmbito internacional, inclusive sendo recomendado por uma das publicações de maior renome no exterior – Latin Lawyer 250 como sendo um dos escritórios de maior destaque da América Latina.

Um dos sócios do Leite, Tosto e Barros, o advogado Paulo Guilherme de Mendonça Lopes comenta sobre fatores relacionados à mediação. O advogado é Presidente da Comissão de Mediação e Arbitragem da OAB-SP e ressalta a relação custo/benefício do método:

“De regra, o julgamento de questões complexas, no Poder Judiciário, envolve prazos muito maiores. A batalha pela redução dos custos da arbitragem está posta e soluções têm sido estudadas.”

E por falar em Leite, Tosto e Barros, vale ressaltar que o escritório ganhou recentemente o reconhecimento mundial na área de Contencioso. O guia Chambers Global apontou o escritório como um dos melhores no Dispute Resolution, tornando o Leite, Tosto e Barros notoriamente destacado no exterior.

Entre os advogados de renome do Leite, Tosto e Barros, o sócio fundador, Ricardo Tosto destaca-se com trajetória impecável e currículo de propriedade. Uma de suas especialidades é a resolução de conflitos em âmbito empresarial.

Ricardo Tosto é formado em Direito pela Universidade Mackenzie, com extensão em Administração de empresas. O advogado também atuou como assessor da banca de diretores do Grupo Rede, além de ter o trabalho reconhecido pelo Guia Who’s Who Legal como um dos mais seletos na área de Commercial Litigation.

Ricardo Tosto é apontado com reconhecimento também pelas revistas Legal 500 e Analise 500 como advogado de renome.

Com o nome bem alicerçado na praça, Ricardo Tosto e seus associados podem falar com propriedade sobre as questões envolvendo conflitos de interesse e o quanto a mediação pode contribuir para a melhor resolução do processo, visando o bem-estar de todas as partes envolvidas.

Fonte

 

Pesquisadores dos EUA criam mosquito resistente ao vírus da dengue

A fim de conter os altos níveis de transmissão de doenças a partir do mosquito Aedes aegypti, uma nova técnica foi divulgada pela Escola de Saúde Pública de Johns Hopkins. Os cientistas e pesquisadores responsáveis pela descoberta desenvolveram mosquitos geneticamente modificados. Estes (os mosquitos), utilizam o seu próprio organismo para combater o vírus da dengue, através do sistema imunológico. O resultado obtido é decorrente de uma alteração feita no que pode ser considerado o fígado do mosquito. O procedimento fez com que o inseto apresentasse um aumento radical na produção de ativos anticorpos em sua estrutura, e isso gerou um bloqueio da infecção causada pelo vírus.

Apesar da boa notícia, os testes que também foram realizados para outros vírus como a zika e a chikungunya, não apresentaram resultados favoráveis. Porém, os pesquisadores que ainda estão desenvolvendo e aprimorando a técnica, acreditam que é apenas questão de tempo para que a mesma também possa trazer resistência à outras formas virais.

Uma vez que o Aedes retira o sangue de um indivíduo portador do vírus da dengue ele é infectado, e além de transportar o vírus, pode mais tarde transferi-lo para outra pessoa. Vale ressaltar que o mesmo acontece com a zika e a chikungunya, uma vez que ambas também se proliferam através do mesmo mosquito.

Publicado na Plos One (Public Library of Science, uma revista cientifica de acesso livre bastante popular do meio, e que possui diversos outros artigos relacionados ao tema), o novo estudo mostra que o mosquito produz anticorpos contra outros vírus, inclusive o vírus da dengue naturalmente, mas em níveis tão baixos que não são capazes de combater e extirpar o vírus. Tendo isso como base, a nova técnica de maneira nunca antes vista estimula essa capacidade natural presente no inseto, a partir da interferência feita em certos genes responsáveis pelo funcionamento do que viria a ser o “fígado” do mosquito.

Uma vez feita essa modificação, foram observados resultados onde a maioria dos insetos eliminou completamente o vírus. A minoria que ainda se mantinha infectada, registrou uma queda do nível viral nas glândulas salivares, algo expressivamente abaixo do normal. As glândulas salivares são o meio pelo qual eles (os mosquitos) transmitem as doenças.

Segundo George Dimopoulos, pesquisador e professor líder do projeto na faculdade, alterar a cadeia natural dos mosquitos substituindo os atuais pela sua versão modificada que é resistente ao vírus, pode reduzir as incidências de casos de dengue, e até mesmo cessa-las.

A equipe do pesquisador que está trabalhando para realizar testes em modificações genéticas do que seria equivalente ao intestino desses insetos, acredita que existe a possibilidade de produzir, de igual forma, anticorpos neste órgão, assim como no “fígado”. Isso tornaria o Aedes mais forte e imune à vírus, e seria um relevante e importante aposta para combater o crescente e alarmante número de infecções provenientes da dengue através do mosquito atualmente.

 

 

Toyota e Ford, juntas, buscam a criação de programa para interligar carros e smartphones

Tendência no que concerne a novas tecnologias é que cada vez mais elas se concentram em um único dispositivo. Exemplo disso são os smartphones atuais, que concentram câmera, internet e várias outras funcionalidades (que antigamente só se encontravam separados). Pois a Ford e a Toyota prometem, agora, criar uma plataforma que integre carros a smartphones.

 

As montadoras planejaram a criação do consórcio SmartDeviceLink, software que é capaz de gerenciar código aberto a fim de padronizar sistemas para a conexão com o carro. O software – que a princípio funcionará para iOS e Android – foi planejado pelo consórcio sem fins lucrativos, que englobou Mazda Motor, PSA Group, Fuji Heavy Industries e Suzuki Motor como primeiros membros participantes.

 

O grande mote para o projeto criado é que, com a criação de um software de código aberto, as montadoras esperam estabelecer um padrão para a produção de veículos de agora em diante, integrando a tela, controle de volante e reconhecimento de voz. Através do projeto, também esperam atrair desenvolvedores, que auxiliem a investir e aprimorar cada vez mais o programa.

 

Já existem alguns aplicativos que permitem certa conectividade de smartphones com carros. Apple CarPlay e Android Auto são exemplos. Além destes, a AppLink, lançada pela Genivi Alliance, que permite que motoristas controlassem aplicativos compatíveis com smartphones através de botões de painel ou comandos de voz também já se encontra instalada em mais de 5 milhões de veículos ao redor do mundo.

 

Porém, a tecnologia SmartDeviceLink promete superar as ferramentas existentes, já tendo a Toyota anunciado desde janeiro passado que iria adotá-la. Ademais, a Peugeot, a Citröen, a Honda, a Mazda e a Subaru também sugeriram a possibilidade de fazer uso da tecnologia – além, claro, da Ford que está auxiliando no desenvolvimento.

 

Além das empresas citadas, participam do projeto as fornecedoras Elektrobit, Luxoft e Xevo, e Harman, Panasonic, Pioneer e QNX assinaram cartas de intenção a fim de participar também.

 

A grande preocupação das montadoras no tocante ao desenvolvimento do software é a questão do controle de dados digitais, devendo ser planejado conjuntamente com o aplicativo algum programa que forneça segurança para o condutor do veículo.

 

É certo, no entanto, que o sistema SmartDeviceLink (SDL) é positivo, e visa sempre mais o conforto do usuário de carros. A tecnologia deve sempre ser utilizada à nosso favor, e é para isso que a Ford e a Toyota pensam no programa.

 

Informações podem ser encontradas no próprio site do software: http://bit.ly/2jiMW79

Luciana Lóssio – um dos mais importantes nomes femininos da política brasileira

Instituída como presidente da Associação de Magistradas Eleitorais Ibero-Americanas de 2016, a juíza é conhecida por, frequentemente, estar na liderança de movimentos que lutam pelo empoderamento feminino na política brasileira.

 

A ministra do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a juíza e advogada Luciana Lóssio, é um dos importantes nomes femininos dentro da política brasileira. Ela é conhecida por lutar, frequentemente, pelo empoderamento da mulher no cenário político do país. Tanto que, ano passado, foi instituída como presidente da Associação de Magistradas Eleitorais Ibero-Americanas.

A entidade em questão é uma organização que foi criada logo depois da “VII Reunião Ibero-Americana de Magistradas Eleitorais: Igualdade de Género e Democracia”, que aconteceu em Brasília, nos dias 17 e 18 de março de 2016. A ideia que vem sendo praticada há cerca de quase um ano, é que as magistradas possam, através desse canal, defender, assistir e proteger os direitos femininos na política e colocar em prática o que é decidido nas reuniões das meritíssimas que acontecem todos os anos.

“A Reunião de Magistradas sempre existiu e já estamos na sétima edição, mas não havia algo de concreto que desse amparo aos encontros. Então, nós entendemos que era necessário a criação de uma instituição para que possamos desenvolver com mais base legal os eventos e essas políticas de afirmação feminina.”, explicou Luciana Lóssio na ocasião.

Na presidência da instituição estará sempre uma integrante natural do país anfitrião do encontro de cada ano. A ministra do TSE comandará a organização até a próxima edição do evento que deve acontecer este ano, no Uruguai, quando, então, outra juíza ocupará o cargo.

Dedicar-se a trabalhar, através de ações afirmativas, em prol da igualdade e representatividade da mulher na política, bem como, combater os atos que violassem ou comprometessem, de maneira negativa, a participação feminina no poder foi a missão da Associação estabelecida para 2016.

 

Questões de igualdade de gênero no país

 

Em declarações publicadas ano passado, Luciana Lóssio salientou ser vergonhoso que dos 27 estados brasileiros, incluindo o Distrito Federal, apenas Roraima fosse governada por uma mulher – um reflexo do desequilíbrio no que se refere à comparação da presença de homens e mulheres no cenário político brasileiro. Para a advogada Luciana Lóssio, as instituições precisam ficar atentas quanto às questões de igualdade de gênero nos países.

“O país que sedia a Reunião de Magistradas é escolhido de acordo com a necessidade daquela região em relação a participação das mulheres na política. Existe uma preocupação a respeito de qual país está precisando de uma ‘força’ internacional, qual país precisa dos holofotes desse encontro para chamar a atenção para o tema. O Brasil foi escolhido, justamente, pela deficiência que ainda vive quando se trata de mulheres na política”, explica Luciana Lóssio.

Um estudo relacionado à representação das mulheres nos parlamentos mundiais, realizado pela organização internacional dos parlamentos dos Estados soberanos, a União Interparlamentar (UIP – ou IPU, em inglês), mostrou que, em termos gerais, a situação brasileira é ainda mais preocupante: dos 145 países analisados pela UIP, o Brasil ocupa a 115ª posição do ranking, perdendo, até mesmo para países que, abertamente, limitam a liberdade feminina, como é o caso da Arábia Saudita, Emirados Árabes, Iraque e Síria.

 

 

A partir do dia 16 de janeiro, estudantes poderão fazer a renovação dos contratos do Fies

Conforme informações do Ministério da Educação (MEC), a partir do dia 16 de janeiro estará aberta a renovação dos contratos dos estudantes que fazem parte do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), programa do governo federal. Os aditamentos são feitos por meio da internet, através do Sistema Informatizado do Fies (SisFies). Mas atenção, a renovação somente é valida para os contratos que foram formalizados até o último dia 31 de dezembro. Já as novas inscrições estão previstas para serem realizadas no mês de fevereiro.

 

Como funciona

Os contratos do Financiamento Estudantil precisam ser renovados uma vez por semestre. As faculdades, no entanto, precisam fazer o pedido de aditamento inicial. Após isso, os estudantes devem validar as informações inseridas pelas instituições de ensino superior no SisFies.

Desde a segunda-feira, 9 de janeiro, as faculdades já estão aptas a cadastrar os dados dos estudantes beneficiados pelo Fies. O prazo para a conclusão dessa etapa estende-se até o dia 30 de abril. Depois disso, é de responsabilidade dos beneficiários entrar no sistema para confirmar os dados.

Contudo, é preciso ficar atento para o caso de aditamentos não simplificados, ou seja, quando existem alterações nas cláusulas dos contratos, como por exemplo, a mudança de fiador. Nessas ocasiões, o beneficiário do programa precisa levar a documentação comprobatória até o agente financeiro para a renovação ser finalizada. Quando se trata de aditamentos simplificados, a renovação é formalizada apenas com a validação do estudante no próprio sistema.

 

Fies

O Fundo de Financiamento Estudantil é um programa do Governo Federal desenvolvido para que quem cursa uma faculdade em uma instituição privada e quer efetuar um financiamento. A universidade em questão, porém, para ter o empréstimo liberado, deve ter avaliação positiva no MEC.

O grande ponto positivo do Fies são os juros menores – com uma taxa de 6,5% ao ano – e a boa forma de pagamento, que só é feito após a formatura. Durante o período em que os estudantes estão cursando só é necessário pagar o valor equivalente aos juros incidentes, que chega ao número máximo de R$150,00 a cada três meses.

A fase de carência a que o beneficiário tem direito corresponde a um período de 18 meses pós término de curso, em que o estudante seguirá com a obrigação de pagar apenas os juros incidentes. Após esse prazo, é preciso comparecer à agência bancaria optada no momento do contrato e escolher a forma pela qual a dívida será paga – ela pode ser dividida em até três vezes o tempo de curso.

Já no final de 2016, o Ministério da Educação divulgou as regras para a seleção do Fundo de Financiamento Estudantil do primeiro semestre de 2017. Dia seis de janeiro foi o limite de prazo para a inscrição das faculdades interessadas em participar do programa.

Já os estudantes interessados precisam ter realizado a prova do Enem a partir da edição de 2010 e ter conseguido uma nota mínima de 450 pontos, além de não ter zerado a prova de redação. O limite de renda familiar para estar apto a participar do Fundo de Financiamento é de três salários mínimos.