Cada vez mais postos de combustíveis estão sendo flagrados em casos de adulteração em São Paulo

Aumentou o número de postos de gasolina flagrados com combustível adulterado com o uso de metanol em São Paulo. No começo de 2015 foram 10 postos flagrados e em 2016 outros 60 postos foram descobertos. De janeiro a junho a fiscalização da Agência Nacional do Petróleo (ANP), já registrou 48 flagrantes de infração por adulteração.

Na hora de abastecer o carro, o arquiteto Fábio Lima, costuma ficar de olho no preço do combustível, mas a qualidade nem sempre dá para confiar. “Mesmo olhando as amostras que eles deixam em exposição para os clientes poderem observar, não dá para confiar”, diz Fábio.

Uma das fraudes que vem aumentando é o uso do metanol, um tipo de álcool mais barato que os combustíveis convencionais. O metanol é utilizado como solvente industrial no Brasil e em 2016, 60 autuações em postos de combustível foram realizadas devido ao uso do metanol em São Paulo.

Em 2017, só no primeiro semestre, já foram 48 autuações em São Paulo. “O primeiro risco que ocorre quando acontece adulteração de combustíveis é a danificação do motor do automóvel. Também existem riscos para a saúde, em específico no caso do metanol, pois o metanol trata-se de um produto tóxico que leva a problemas sérios de saúde”, diz o chefe de fiscalização regional da ANP, Roberto Jonas Gladys.

Uma blitz realizada em São Paulo em postos de combustíveis da capital pela equipe da ANP no dia 25 de julho de 2017, recolheu amostras de gasolina, álcool e diesel para análise. Durante o procedimento foi medida a densidade dos combustíveis e também verificada a coloração através de agentes químicos. Em um dos postos, a amostra estava fora dos padrões.

“Esse teste deu positivo para a substância metanol acima do teor permitido. Esse posto é reincidente, ele já foi autuado por mais de três vezes por rompimento de lacre, e vai ser interditado novamente e autuado”, diz o agente de fiscalização da ANP, Miguel Camacho.

A ANP estuda a possibilidade de incluir o metanol em usa lista de produtos monitorados, enquanto isso, para evitar ser lesado, o chefe de fiscalização recomenda: se o preço na bomba for muito baixo, desconfie. “O metanol tem um preço muito baixo e com isso, esses postos que trabalham com o metanol tem preços ridiculamente baixos. Então é muito importante tomar cuidado com as ofertas muito vantajosas porque possivelmente tem alguma coisa errada”, diz Roberto.

Mesmo com tantas fraudes e flagrantes a lei continua sendo burlada por donos de postos e isso prejudica em muito o consumidor. O consumidor que se sentir lesado por ter adquirido combustível de péssima qualidade em qualquer posto de combustíveis, deve entrar em contato com o órgão fiscalizador (ANP) denunciando aquele posto.

Infelizmente o preço do combustível teve mais um aumento declarado pelo governo no mês de julho e na contramão destes aumentos de impostos cobrados de forma irracional, não se pode confiar no que você está levando para casa. O difícil é pagar preços ridiculamente altos em praticamente tudo aqui no Brasil, e comprar gato por lebre mesmo assim.