Agricultor vítima do terremoto recebe 15 mil euros do papa Francisco

papafrancisco2

Não é de hoje que o papa Francisco vira notícia dentro do seu público fiel, assim aconteceu novamente na última sexta-feira, dia 24 de fevereiro, onde ele doou 15 mil euros para um pobre agricultor que teve, assim como muitas pessoas, seus bens materiais perdidos. O dinheiro doado teria a finalidade para comprar um veículo em que o agricultor pudesse usar para transportar a sua produção que foi fortemente afetada com o terremoto.

Como já dito antes, o papa Francisco está sempre ligado as boas notícias que giram em torno do Vaticano, essa doação, no entanto, não foi a primeira em que o Pontífice mostrou generosidade e compaixão as vítimas dos tremores. O pedido foi feito à Esmolaria Apostólica pelo papa, juntamente com o departamento da Cúria Romana que aplica as ordens realizadas pelo líder da Igreja Católica.

Os membros que integram a Esmolaria Apostólica estiveram durante os últimos dias nas regiões que foram atingidas pelos terremotos. As regiões onde tiveram os terremotos no dia 24 de agosto foram as que mais sofreram com os tremores, sendo assim foi o lugar principal da visita dos membros da Esmolaria, que por sua vez doou 11 mil euros com a compra de produtos alimentares dos próprios pequenos produtores e comerciantes locais.

Com os tremores, muitos dos comerciantes e produtores das regiões afetadas estavam quase fechando as portas de seus negócios, até que esses pequenos empresários tiveram a sorte de contar com a ajuda de um grupo de bispo, dentre eles: Domenico Pompili, de Rieti; Giovanni D’Ercole, de Ascoli Piceno; Francesco Giovanni Brugnano, de Camerino e de San Severino Marche; e do bispo Renato Boccardo, de Spoleto e Norcia. Eles foram responsáveis por encorajar os comerciantes que queriam fechar as portas, e os incentivaram a voltar as suas rotinas.

Dentre o incentivo dado aos comerciantes, os bispos passaram por pelo menos 4 regiões atingidas pelos terremotos, onde puderam comprar diversos itens, como, 150 quilos de roveia, que foram comprados em Norcia, 42 quilos de farro – uma mistura típica da região com legumes e cereais – e 80 quilos de queijo, tudo na pequena região. Eles ainda passaram por diversos restaurantes bem conhecidos de Roma, que passarão a são atualmente sustentados pela Santa Sé.

Alguns criticam e julgam que a boa ação na verdade e o mínimo que eles poderiam oferecer, em vista da quantidade de dinheiro que o Vaticano movimenta diariamente. Contudo, é sempre bom lembrar que a caridade nunca é demais, e deve ser feita não somente por aquele que tem muito dinheiro, mas por todos que podem ajudar. Então mais que criticar a ação de solidariedade do papa e dos bispos, é preciso unir forças para ajudar aqueles que precisão.