Bob Dylan vai para Estocolmo buscar seu Nobel da literatura

Image result for Bob Dylan vai para Estocolmo buscar seu Nobel da literatura

A Cerimonia do Nobel foi realizada no mês de dezembro no ano passado, e mesmo sabendo que havia sido indicado e que receberia o premio por sua carreira como escritor e autor de musicas e poesias no cenário folk musical norte-americano, o cantor não compareceu.

Apesar de ter enviado uma carta com um discurso de agradecimento, a organização do premio decidiu adiar a entrega do premio em sua categoria para uma data que fosse possível para o cantor e musico americano.

Bob Dylan tem 75 anos e não viaja tanto quanto antes. Apesar de ainda realizar shows pelos estados Unidos e alguns outros lugares do mundo, decidiu não comparecer a premiação no ano passado alegando compromissos.

Aparentemente, a organização do Nobel não se sentiu nem um pouco ofendida com a ausência do homenageado e decidiu criar um pequeno evento apensar para entregar o diploma e a medalha do Nobel para o agraciado do ano de 2016.

Sara Danius, uma das representantes da cerimonia disse a jornalistas que a cerimonia não vai contar com câmeras ou fotógrafos, sera bem intima com a presença do próprio Dylan, outros membros do premio Nobel e alguns amigos do musico.

Vale lembrar que o Nobel entrega além de uma medalha e um diploma, um premio em dinheiro para os vencedores. No caso de Dylan, o musico vai ganhar cerca de 8 milhões de coroas suecas, o equivalente a mais de 800 mil euros.

Para conseguir tomar posse de sua premiação, a organização do premio deu a Bob Dylan até o dia 10 de junho para apresentar um vídeo com um agradecimento ou estar presente em Estocolmo para receber a homenagem. O musico decidiu comparecer a cidade de entrega do premio assim como lhe foi pedido originalmente.

Além de comparecer para receber o seu premio, Bob também aproveitou para agendar 3 shows na Suécia. Porém a organização do premio afirma que as datas na Suécia já estavam marcadas mesmo antes de o musico ficar sabendo que seria homenageado pela academia do premio Nobel, e que só por isso iria comparecer pessoalmente a Estocolmo para receber sua medalha.

Pioneirismo

Bob Dylan vem sendo homenageado por muitos a muitos anos, não só pelo seu maravilhoso trabalho no mundo da musica, mas também pela consideração que o mundo da literatura tem pelas suas letras poéticas. Bob é até o momento o primeiro e único musico do mundo a receber um nobel da literatura.

Apesar da grande homenagem, Dylan não gosta muito de falar em publico e não da muita atenção a premiações. Mesmo no auge da sua carreira, o cantor compareceu poucas vezes a cerimonia do Grammy, principal premiação da musica nos Estados Unidos.

Até o momento, a organização do Nobel afirma que o musico folk é o homenageado que mais demorou para receber sua premiação.

 

Jornal do Almoço do Grupo RBS do empresário Eduardo Sirotsky Melzer comemora 45 anos

No dia 6 de março de 2017, o Jornal do Almoço comemorou 45 anos. Durante 45 anos, o programa do Grupo RBS presidido pelo empresário Eduardo Sirotsky Melzer, entrega ao público gaúcho as principais notícias do estado e do país. O aniversário do programa foi comemorado no estúdio, na redação da emissora e nas ruas.

Sabemos que a televisão vem apostando no engajamento com os seus telespectadores através da internet, e no caso do Grupo RBS de Eduardo Sirotsky Melzer a história não é diferente. Para confirmar esse fato, a produção do Jornal do Almoço convidou os telespectadores que costumar interagir com o programa nas redes sociais para participarem da atração, e foi pedido para os convidados relatarem sua relação com o Jornal do Almoço.

A interação com os telespectadores não ficou restrito apenas ao estúdio da emissora, Cristina Ranzolin, que há 20 anos faz parte do Jornal do Almoço, além de ser a apresentadora que há mais tempo exerce essa função na atração, foi para o Centro de Porto Alegre e interagiu com o público do programa. Orgulhosa por fazer parte desses 45 anos do JA, a apresentadora enfatizou a importância do programa para o Rio Grande do Sul, além de afirmar o quanto a atração ainda pode fazer pelo estado: “É com muito orgulho que comemoro estes 45 anos, mas também com uma responsabilidade imensa, porque, quando olhamos para trás e vemos tudo que esse programa já representou para o Rio Grande do Sul, percebemos que temos muito o que fazer, muito o que batalhar para que cada dia seja melhor”. Além disso, Cristina Ranzolin afirmou: “Que continuemos nos reiventando e atendendo toda a expectativa do nosso telespectador. ” Declarou.

Para comprovar o engajamento na internet do público do Jornal da emissora de Eduardo Sirotsky Melzer, a hashtag #JA45anos ficou em 1º lugar entre os principais tópicos nacionais do Twitter. Durante a semana de aniversário do programa, os telespectadores foram convidados a enviar fotos e vídeos assistindo à atração, com isso, o material recebido pela emissora foi exibido durante aquela mesma semana.

O Jornal do Almoço, desde o ano de 1972 leva informação de qualidade ao público gaúcho. Durante todos esses anos, o jornal do grupo dirigido por Eduardo Sirotsky Melzer, se reinventou, sempre acompanhando as inovações tecnológicas, como foi na entrada do sinal digital no país. De acordo com o diretor de Jornalismo da RBS TV, Cezar Freitas, o telejornal é popular entre os telespectadores porque a atração procura a proximidade com a sociedade.

O Grupo comandado por Eduardo Sirotsky Melzer, busca através do Jornal do Almoço dar voz ao povo gaúcho, através dele, o público pode expressar as suas insatisfações, discutir problemas, propor mudanças. Segundo o diretor de Jornalismo da RBS TV, Cezar Freitas, “O JA é a praça pública, onde os gaúchos se reúnem e discutem seus problemas, as soluções, a gente vê os bons exemplos, as pessoas que nos orgulham e as coisas que podemos melhorar”. Além disso, o diretor ainda afirmou que um dos objetivos do JA é continuar proporcionando esse espaço para o público do programa.

 

 

 

Porta-aviões americano que deveria estar a caminho das Coreias navegou em sentido oposto

Image result for Porta-aviões americano que deveria estar a caminho das Coreias navegou em sentido oposto

A marinha americana se envolveu em uma situação constrangedora em abril. No início do mês a Coreia do Norte ameaçou realizar mais um teste de uma arma nuclear, o que contraria os interesses dos países ocidentais. Para realizar uma demonstração de força e convencer os norte-coreanos a desistirem do teste, o governo americano anunciou o envio de uma armada de quatro navios (incluindo um porta-aviões) para o Mar do Japão, que banha as Coreias. Entretanto, dias após o anúncio, a verdade foi revelada: a armada americana fez exatamente o caminho oposto e se afastou da península.

O anúncio do envio da frota americana causou uma grande tensão na região, com a Coreia do Norte ameaçando lançar um ataque nuclear contra os EUA e a Coreia do Sul. A revelação de que os navios estavam na realidade a caminho da Austrália revoltou os sul-coreanos e foi considerada um fiasco internacional.

Foi o presidente dos EUA, Donald Trump, quem disse que os navios estavam a caminho da Coreia. “Estamos enviando uma armada. Muito poderosa”, disse ele. Após o blefe ser revelado, políticos sul-coreanos chegaram a dizer que não confiariam mais no presidente americano.

Para tentar contornar a situação, o vice-presidente dos EUA, Mike Pence, afirmou que a frota deve chegar ao Mar do Japão “em alguns dias”, sem precisar uma data.

A frota

Sobre uma coisa Donald Trump não se enganou. A armada que supostamente será enviada para assustar a Coreia é realmente poderosa. A frota é composta por um porta-aviões, o Carl Vinsen; dois destróieres lança-mísseis e um cruzeiro também lança-mísseis.

A estratégia americana funcionou. A Coreia do Norte, que planejava realizar seu teste nuclear em 15 de abril, desistiu da façanha, pelo menos por enquanto. Mas, em uma demonstração de determinação, realizou o lançamento – malsucedido – de um míssil, que explodiu segundos depois do lançamento.

Conflito é iminente

O aumento da tensão na península coreana colocou os países da região em alerta. A China, considerada uma aliada da Coreia do Norte, alertou que uma guerra na região pode começar a qualquer momento. A informação foi dada à imprensa internacional pelo ministro das Relações Exteriores da China, Wang Yi. “Apelamos para que todas as partes se abstenham de se provocar e de se ameaçar, seja com palavras ou com ações, para que não cheguemos a um estágio irreversível e incontrolável”, alertou Wang.

Donald Trump, entretanto, disse que, se a China não dissuadir a Coreia do Norte de construir bombas atômicas, os EUA irão agir, sem explicar se esta ação seria diplomática ou militar.