Mais uma na corrida pelos carros autônomos: a Apple

O verdadeiro prenuncio de que uma tecnologia pode se tornar uma tendência, ou mais, sair dos testes e vir a se tornar um produto comercial real é o interesse e investimento de grandes empresas da área de tecnologia ao mesmo tempo. Pensando nisso, é possível que venhamos daqui a alguns anos realmente estar andando em carros sem motoristas.

Recentemente a Apple conseguiu o direito, nos Estados Unidos, de começar a fazer testes com carros sem motoristas, seguindo o exemplo de outros gigantes da tecnologia que já fazem, ou fizeram o mesmo, como a empresa Tesla e mais conhecido, a Google.

Assunto que voltou a reaquecer

No ano de 2016 após um acidente com um carro sem motorista da Google, o assunto acabou ficando frio e cada vez mais de lado, e o mesmo ocorreu após mais um acidente, mas dessa vez no início de 2017, causado por um carro testado pela empresa Uber que abandonou os testes com carros autônomos. Mesmo que por várias vezes os acidentes tenham sido causados por motoristas de outros carros e não pelo próprio carro sem motorista.

Em abril de 2017 os EUA concedeu autorização para que a gigante da tecnologia, a Apple, possa começar a fazer testes com veículos sem motorista, após a empresa ter enviado uma carta formal ao governo. Os testes têm autorização de serem realizados na Califórnia.

A ambição da Empresa

Segundo a própria Apple, a empresa está investindo em machine learning e sistemas autônomos e que o foco principal da empresa é desenvolver softwares para esses veículos.

Esse interesse não deve ser visto como repentino ou algo futurístico, já que várias fabricantes de automóveis estão trabalhando no desenvolvimento desses veículos, com previsão de chegada, de pelo menos alguns modelos, ao mercado nos próximos anos. O que deixa claro que a empresa de tecnologia pode estar de olho na produção de software para as fabricantes.

Eles estão chegando

O investimento pesado e interesse, não de poucas empresas, muito pelo contrário, indica que tanto as empresas de tecnologia, como Google, Apple, como grandes nomes do mundo dos automóveis como Ford e Mercedes-Benz, realmente veem os carros sem motorista como uma tendência próxima para o transporte. E não apenas para carros de luxo, ou transporte específico e sim para o grande público, já que até a própria Uber realizou testes e os carros geralmente usados pela Google são alguns modelos mais populares.

 

Luminotécnica e arte são utilizados para o bem-estar de pacientes no Hospital Copa Star

A rede D’Or São Luiz, ganhou uma nova unidade na região de Copacabana, Rio de Janeiro. Trata-se do Hospital Copa Star, uma rede de alto padrão voltada ao público “A”, que é a principal referência brasileira quando se trata de tecnologia de ponta e atendimento humanizado. O novo prédio de cinco andares com organização única.

A busca por tratamentos com equipamentos médicos mais modernos do mercado é a principal preocupação do Hospital Copa Star. Sua estrutura conta com sala de cirurgias inteligentes, telemedicina, medicina robótica e neurocirurgias com equipamento de ressonância magnética integrada.

A principal missão do hospital é oferecer exclusividade em serviços para pacientes e médicos. Sua área de 21 mil m² oferece sete andares para assistir totalmente os pacientes e, ainda, oferecer acomodações perfeitas para os acompanhantes. Sua estrutura de alto nível e equipamentos de última geração resumem um novo e incrível conceito para garantir atendimento impecável a todos.

Para garantir o conforto e o bem-estar na estadia dos pacientes e acompanhantes, o Hospital Copa Star conta com um incrível projeto luminotécnico, que tem ajuste de cores e intensidade, o que garante ambientes mais agradáveis.

A importância do ajuste de iluminação está ligada à tranquilidade e acolhimento proporcionado. Como local associado a riscos, o desconforto com a iluminação fora dos padrões exigidos pode comprometer o tratamento.

O mesmo cuidado está presente nas salas dedicadas aos médicos, onde as iluminâncias adequadas para as tarefas garantem condições perfeitas para toda a rotina dos profissionais.

Iluminação natural x Iluminação artificial

A principal estratégia do projeto de iluminação artificial é complementar a presença da iluminação natural, resultando em uma arquitetura inteligente e especialmente preocupada com as necessidades de bem-estar e conforto daqueles que utilizam as instalações do Hospital Copa Star.

Entre os cuidados empregados está o esforço para que os pacientes não se sintam em um ambiente hospitalar, mas, sim, sintam-se como em um período de estadia durante os tratamentos.

Preocupação com a sustentabilidade

Além do projeto luminotécnico, as instalações contam ainda com soluções sustentáveis que fazem toda a diferença, como a escolha de peças sanitárias que diminuem potencialmente o consumo de água.

A preocupação com a sustentabilidade se estendeu às escolhas das lâmpadas, onde o modelo LED se mostrou como a solução mais eficiente quanto à redução nos custos e maior vida útil.

Além disto, há um grande jardim vertical que dá presença a uma parede verde com diversas espécies. Além de embelezar a decoração do prédio, este modelo de jardim oferece conforto acústico e térmico ao local onde está presente.

Para se sentir em casa

O acolhimento dos ambientes é especialmente influenciado pelas escolhas decorativas. As escolhas seguiram paletas de cores harmônicas e agradáveis que potencializam a sensação de aconchego em todos os espaços.

Este planejamento foi especialmente pensando para que todos os pacientes fujam à sensação de ambiente hospitalar. Sentir-se em casa, é, certamente, um pensamento comum a todos os pacientes que, sempre que necessitarem, terão as melhores condições do país para seu bem-estar nas instalações do Hospital Copa Star.

 

Pesquisadores encontram outros motivos para o canibalismo na pré-história

 

O período paleolítico, época em que os seres humanos viviam em cavernas, foi cercado pela prática comum do canibalismo. O que sempre foi dito, é que os seres humanos comiam uns aos outros por precisarem de uma demanda muito grande de nutrientes. No entanto, essa teoria foi desmentida por um novo estudo publicado na revista Scientific Reports, que sugeriu um motivo mais peculiar para o canibalismo pré-histórico.

As evidências de práticas canibalescas aparecem nos mais variados sítios arqueológicos. Além dos nossos ancestrais do período paleolítico, os neandertais também eram canibais. A prática que era bastante comum naquela época, levanta muitas perguntas sobre o assunto atualmente, porque é difícil para nós imaginarmos os motivos que levaria alguém a comer um outro ser da mesma espécie. Se observarmos ainda pela natureza, dificilmente encontraremos um animal que seja canibal, isso porque eles não associam outro da mesma espécie como alimento. Por isso a grande pergunta sobre o canibalismo é: Qual a real motivação por trás dessa prática?

Pesquisadores britânicos da Universidade de Brighton, resolveram investigar mais profundamente esse mistério antigo, para isso, eles calcularam as fontes de energia do corpo humano. Dessa forma, os pesquisadores puderam comparar o valor nutricional do corpo dos seres humanos e de outros animais existentes naquela época. Esse calculo feito pelos pesquisadores, revelou que um corpo humano adulto com peso aproximado de 66 quilos, tem em média 144.000 calorias. Os rins têm em média 376 calorias, e o fígado tem em torno de 128. Ou seja, o valor nutricional é muito semelhante aos dos animais.

A carne humana é muito similar à de outros animais, tanto no valor nutricional, quanto nas características. Os músculos presentes nos humanos, também possuem calorias muito similares a animais com peso e tamanho semelhantes ao ser humano. Um dos animais que mais se assemelham é o antílope saiga, com uma carne menos calórica do que a maioria dos animais daquela época, como é o caso do mamute (3.600.000 calorias).

James Cole, cientista e autor da pesquisa, acredita que o ser humano não possua grandes valores nutricionais, comparado a outros animais. O corpo humano, para Cole, é muito pequeno e muito magro para afirmar que os paleolíticos eram canibais por causa da demanda nutricional. Outra característica destacada por Cole, é que os homens daquela época eram fortes e ágeis, sendo assim, poderiam lutar, fugir e pensar, portanto ser canibal poderia ser uma escolha: “Isto pode indicar que as razões que levavam à antropofagia entre hominídeos talvez não fossem puramente nutricionais”.

O autor James Cole ainda revelou ao The Guardian, que seres humanos mortos podem ter sido devorados após uma morte de causas naturais, ou ainda que o canibalismo possa ter existido por disputas de território.

 

Venda de veículos sobe no mês de março

Neste último mês de março, as vendas de automóveis no Brasil aumentaram depois de 2 anos de baixa. A última vez que foi registrado crescimento neste mercado foi em dezembro de 2014.

De acordo com os dados apresentados, foram comercializados 189.143 carros considerados comerciais leves. A venda de caminhões e ônibus apresentou um crescimento de cerca de 5,5% em comparação aos outros meses (179.279).

A Fenabrave, (Federação dos distribuidores) foi quem forneceu os dados. De acordo com a federação o comercio de automóveis não mostrava um crescimento considerável desde 2014.

Mas mesmo com a notícia positiva, a Fenabrave afirma que o crescimento naquele ano foi superior, quase o dobro deste mês. Em dezembro de 2014 foram vendidos cerca de 370 mil automóveis.

Ainda comparando este mês com outros, a federação afirma que este mês foi melhor que o mês passado. Fevereiro teve menos dias uteis, portanto março apresentou uma alta de 39, 4%.

O ano ainda não acabou, mas de acordo com os cálculos, este ano pode mesmo com o crescimento considerável em março, apresentar queda. Durante os primeiros 3 meses do ano em 2016 foram vendidos 472.004 automóveis.

Se houver crescimento, a Fenabrave acredita que ainda sim o volume de carros vendidos durante o ano todo será menor do que no ano de 2006.

Os mais vendidos

O maior crescimento esta com a GM e o seu modelo Onix. O hatch compacto já foi comprado mais de 14 mil só este ano.

O Segundo automóvel mais vendido é o HB20 da Hyundai, com mais de 10 mil vendas. De acordo com a federação estes dois modelos foram os únicos a ultrapassar a barreira dos 10 mil vendidos até o momento.

O terceiro é o Ford Ka. A marca afirma já ter realizado mais de 8 mil vendas do modelo.

Depois destes 3 modelos, ainda estão na lista outros modelos bastante populares mais que não estão indo bem. Volksvagen (Gol), Toyota (Corola), Fiat (Strada) e Chevrolet (Prisma).

Entre os modelos SUVs, existe uma briga párea. As marcas Nissan, Jeep e Hyunda estão de certo forma todos empatados. Cada marca vendeu cerca de 3 mil exemplares.

Outras marcas não tiveram a mesma sorte, mas com a promessa de crescimento, mesmo que pequeno, a Fenabrave acredita que os números serão ligeiramente positivos para todas as marcas com forte representação no mercado brasileiro.

 

 

Jornal ZH de Duda Melzer concorre ao Prêmio INMA

O jornal ZH foi escolhido entre os finalistas da premiação International News Media Association (INMA) pelo terceiro ano seguido. Esse ano, o jornal, que pertence ao Grupo RBS de Duda Melzer, está concorrendo na categoria de “Melhor Uso das Redes Sociais”. Ao todo, foram mais de 100 finalistas selecionados de vários países distintos, os quais estão concorrendo em cerca de 20 categorias, tanto para empresas de alcance nacional, como também as de porte regional. Os vencedores do INMA serão conhecidos no final de maio, durante o Global Media Awards Dinner, sediado em Nova York.

No ano passado, o Zero Hora obteve grande destaque no que diz respeito ao engajamento com o público através das redes, de acordo com dados divulgados pelo índice Torabit, que estuda as interações feitas pelas páginas dos grandes jornais do país nas redes sociais de grande acesso como o Twitter, Instagram e Facebook. Um dos fatores essenciais para esse grande engajamento do ZH na web foi o número de seguidores do jornal, que tem aumentado constantemente.

Em janeiro de 2017, o Zero Hora, de Duda Melzer, já possuía mais de 2 milhões de curtidas no Facebook, um crescimento de 16,5% caso comparado ao ano de 2016. No Twitter, esse crescimento foi ainda mais substancial, sendo superior a 50% em relação ao ano de 2015. Já no Instagram, por sua vez, o jornal teve mais de 3 milhões de likes em suas fotos e vídeos publicados no decorrer do ano.

Uma série de mudanças foram adotadas para melhorar o engajamento do ZH nas redes sociais, as quais demonstraram terem sido positivas devido a esse impacto positivo no número total de acessos ao website do jornal. O fluxo de acessos feitos a partir de links publicados no Facebook aumentou mais de 80% quando comparado a 2015. Com isso, a estimativa é de que as redes sociais tenham sido responsáveis por gerar aproximadamente 25% dos acessos ao site em 2016, o que significa cerca de 70 milhões de acessos.

Sabrina Passos, gerente do setor digital do Zero Hora, de Duda Melzer, declarou que 2016 foi um período de muito trabalho para toda a equipe do jornal, que se esforçou para garantir esses resultados positivos nas plataformas digitais e nas redes sociais do veículo. Para alcançar esses resultados, o jornal investiu em parcerias com o Twitter e na produção de videos ao vivo no Facebook, além de estar sempre tentando entender o comportamento e as preferências dos seus seguidores para continuar fornecendo conteúdos interessantes e atrativos.

A gerente também ressaltou que o Zero Hora vem seguindo a política de investimento digital defendida por Duda Melzer, pelo fato dessas mídias possuírem uma grande relevância estratégica. Tudo isso contribuiu diretamente para a indicação ao International News Media Association (INMA), um feito exclusivo para os maiores veículos de comunicação do planeta.

Nessa 87ª edição do INMA, os concorrentes do Zero Hora, de Duda Melzer, na categoria que o jornal está disputando são a plataforma online Brilio.net, da Indonésia, e o jornal australiano NewsLocal.

 

 

Pesquisadores descobrem a “peneira de grafeno”

Existem invenções que tem o potencial de ajudar milhões de pessoas. Esse é o caso da descoberta de uma “peneira” de grafeno, que consegue separar o sal da água do mar, feita por pesquisadores da Universidade de Manchester, no Reino Unido. Essa invenção irá ajudar as pessoas sem acesso direto a água potável.

Além do diamante e do grafite, o grafeno é uma das formas cristalinas do carbono.

Essa peneira é feita com um derivado químico, o óxido de grafeno, e pode ser muito eficiente no processo de filtragem do sal. Os cientistas agora vão fazer testes comparando com as membranas já existentes de dessalinização.

Esses resultados saíram na publicação cientifica “Nature Nanotechnology”.

Descoberto em 1962, o grafeno não gerou muito interesse até ser em 2004, redescoberto pelos pesquisadores da universidade de Manchester, sendo isolado e caracterizado. Sua consistência é de uma camada fina de átomos de carbono, parecendo uma treliça hexagonal.

Com suas características nada comuns, como condutividade e força elástica, o transformaram em um dos metais mais promissores para o futuro.

Com os métodos usados até hoje, era realmente difícil e caro produzir em alta escala as barreiras de grafeno.

Com esta descoberta, o óxido de grafeno pode ser feito de maneira bem simples em laboratório.

Para aplicá-lo em um material poroso e usá-lo como membrana, é preciso estar na forma de solução ou tinta.

Para transformar a camada de grafeno permeável, é necessário fazer buracos nela, não podendo estes serem maiores que um nanômetro, senão os sais escapam por eles. Sendo necessário fazer uma membrana com um buraco muito uniforme para que ela possa ser usada na dessalinização, é muito difícil.

Essas membranas de óxido de grafeno são capazes de filtrar nanopartículas, sais de cristais maiores e moléculas orgânicas. Até agora não foi possível ser usada em sais comuns, sendo necessário peneiras ainda maiores.

Essas membranas de óxido de grafeno, em pesquisas anteriores, ficavam levemente inchadas quando mergulhadas em água, possibilitando sais menores passarem por seus poros junto com as moléculas.

Nessas novas pesquisas, eles descobriram que usando paredes feitas de resina epóxi em cada lado da membrana de grafeno, se consegue frear esse inchaço. Usando essa técnica, é possível se conseguir passar mais ou menos o sal.

Em pesquisa feita, estima-se que 14% da população do mundo terá escassez de água até 2025.

Nos países mais ricos, se investem em tecnologias de dessalinização, como meio de diminuir as causas dos efeitos da mudança climática, que faz com que os reservatórios das cidades cheguem a um nível baixo de abastecimento.

No momento, no mundo, são usadas membranas feitas de  polímeros pelas usinas de dessalinização.

O próximo passo dos pesquisadores, vai ser comparar com o material mais sofisticado do momento com as membranas de óxido de grafeno.

 

Contas inativas movimentam R$ 5,5 bilhões em duas semanas

Segundo informações do Ministério do Trabalho, no último dia 31 de março, os saques referentes às contas inativas do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS), atingiram o valor de R$ 5,5 bilhões, somente no período compreendido entre os dias 10 a 24. De acordo com a pasta, mais de 3,53 milhões de trabalhadores efetuaram cerca de 6 milhões saques – isto se deve ao fato de um trabalhador poder ter mais de uma conta inativa. Levando-se em conta o mês completo, 4,8 milhões de trabalhadores efetuaram saques em março, totalizando cerca de R$ 6,96 bilhões.

Para Ronaldo Nogueira, ministro do Trabalho, a medida é importantíssima tanto para o trabalhador, como para a economia: “Esses trabalhadores, que antes não tinham acesso ao dinheiro de suas contas inativas, agora podem utilizar esse dinheiro da forma que seja mais vantajosa, tanto para quitar dívidas como realizar investimentos. É o trabalhador que vai decidir o que vai fazer com seu dinheiro”, relatou.

De acordo com a Caixa Econômica Federal, os trabalhadores que se dirigiram às agências demonstraram maior interesse em receber o dinheiro em espécie: cerca de 1,91 milhões. Por outro lado, mais de 1,62 milhões de pessoas preferiram que o valor fosse depositado em contas bancárias. Ao todo, foram mais de R$ 2 bilhões em depósitos.

Primeira semana mais movimentada

Na comparação entre as duas semanas, houve drástica redução no volume de saques de uma semana para outra. Na primeira, foram efetuadas 5.541.723 retiradas, enquanto na segunda, apenas 459.061.

Mais de R$ 11 bilhões no próximo mês

Os primeiros beneficiários a ter direito ao saque são os nascidos nos meses de janeiro e fevereiro. Os trabalhadores que nasceram em março, abril e maio começarão a efetuar os saques a partir de dez de abril. Ao todo, o novo lote de favorecidos é composto por 7.731.441 de pessoas, sendo o montante disponível para saque de R$ 11,23 bilhões.

Segundo o coordenador-geral do FGTS, Bolivar Moura Neto, todos os beneficiados terão o direito de retirar o dinheiro até a data final do cronograma, que encerra em 31 de julho.

 

Marcio Alaor do BMG, informa sobre evento para estimular as relações econômicas entre Brasil e Suécia

O presidente Michel Temer e o rei da Suécia, Carl Gustaf XVI, se reuniram recentemente em São Paulo para um encontro com o objetivo de reforçar os laços comerciais e as relações entre os dois países. O encontro aconteceu durante o Fórum de Líderes Brasil-Suécia, o qual reuniu cerca de cinquenta autoridades e empresários brasileiros e suecos no Palácio dos Bandeirantes, reporta o vice-presidente executivo do Banco BMG, Marcio Alaor.

Em seu discurso de encerramento, Michel Temer reforçou a existência de uma dinâmica importante na relação entre a Suécia e o Brasil, e também a “associação estratégica” que existe entre os países nos segmentos da aeronáutica e defesa. Como exemplo, ele citou a compra dos 36 aviões militares modelo Gripen NG da empresa sueca Saab feita pelo Brasil há alguns anos.

Segundo Temer, atualmente já atuam no mercado brasileiro mais de 200 empresas suecas, e o país espera que esse número continue aumentando nos próximos anos. Aproveitando o tema, ele citou que as perspectivas econômicas do país avançam para um período mais favorável e atrativo para os investimentos privados, informa o executivo do Banco BMG, Marcio Alaor.

A economia do Brasil teve uma retração de 3,8% no ano de 2015, o pior resultado em mais de 20 anos, e de 3,6% em 2016, tendo assim dois anos seguidos de queda no desempenho econômico, fato este que não acontecia desde os anos 1930. Também presente no evento, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin destacou a importância que o estado possui nas relações entre o Brasil e a Suécia, contribuindo para cerca de 40% dos laços comerciais que existem entre os dois países.

De acordo com o governador, em São Paulo as empresas suecas possuem um extenso apoio para que consigam desenvolver os seus produtos, através de uma tecnologia de ponta e do suporte governamental. Ressaltou ainda que, nesse momento em que o Brasil começa a se reabilitar economicamente, isso pode ser bastante vantajoso para ambos os países, noticia Marcio Alaor, executivo do Banco BMG.

Já a esposa do governador, Lu Alckmin, ficou encarregada de encontrar a rainha da Suécia e lhe apresentar algumas das principais ações sociais desenvolvidas pelo Fundo Social de Solidariedade do Estado de São Paulo, instituição que ela atua como presidente.

Ainda na agenda dos monarcas suecos em sua visita ao Brasil está uma participação no Fórum Global da Infância, juntamente com o presidente Michel Temer e a primeira dama Marcela Temer. Essa é a primeira vez que a iniciativa será realizada em uma cidade da América do Sul, sendo considerado um evento importante para a cidade de São Paulo, informa o executivo do Banco BMG, Marcio Alaor.

Antes de voltarem para a Suécia, os monarcas europeus também irão visitar o Centro de Projetos e Desenvolvimento feito para os caças modelo Gripen, que fica na cidade de Gavião Peixoto. O presidente Michel Temer também irá oferecer um almoço especial em Brasília para homenagear o rei Carl Gustaf XVI em sua estadia no Brasil, reporta Marcio Alaor, executivo do Banco BMG.

O poder da leitura

Quando pequenos, aprendemos a ler. Começa com as vogais e evolui para as sílabas e logo a formação da palavra. Estamos rodeados de significados. A cadeira, o lápis, o caderno. Aprendemos que as coisas têm nomes e não são simplesmente nomes, são significados. Uma cadeira não é um lápis. Quando aprendemos a ler conseguimos entender todos os significados presentes no texto e mais ainda agregamos mais vocabulário ao repertório da vida. E aprender nunca é demais.

Segundo a pesquisa Retratos da Leitura no Brasil o número de leitores do país, em 2015, correspondia a 56% da população. Uma informação da pesquisa que preocupa muito a todos é saber que 30% das pessoas nunca comprou um único livro. O brasileiro lê apenas quatro livros por ano. A pesquisa foi realizada pelo Ibope a pedido do Instituto Pró-livro e ouviu mais de cinco mil pessoas, alfabetizadas ou não, esse número representa a 93% da população brasileira. O estudo mostra o panorama da leitura no Brasil. Confira abaixo três habilidades que a leitura oferece para aquele que lê:

Compreensão de mundo

Por meio da leitura podemos aprender muita coisa ao nosso redor, além de nos dar senso crítico para aquilo que vivenciamos. Descobrir sobre o universo, um autor novo da literatura, a vida de civilizações pré-históricas e outras culturas desperta em nós a criatividade e desenvolve a imaginação. Transforma o velho em novas possibilidades. Recria o antigo e expande o conhecimento. Podemos viajar através de um livro e compreendemos o mundo por ele. Lendo o mundo por intermédio de um livro podemos questionar a nossa realidade, e sermos críticos para mudar o mundo.

Fonte de lazer

É preciso de pouco para gostar de ler. Começando com um livro pequeno e aumentando gradualmente a prática podemos utilizar o hábito da leitura como prazer. Na internet encontramos muitas opções gratuitas de leitura. O ato de ler é um processo contínuo de transformação da alma, saímos diferentes depois de uma boa história. Decifrar o desconhecido lendo o mundo por meio de um livro é simplesmente gratificante. Os dados da pesquisa do Ibope são certos ao identificar que para quem lê a leitura é uma ótima fonte de lazer.

Agrega valor profissional

O mercado valoriza o profissional bem informado. O trabalho intelectual é um dos mais bem remunerados da nossa atualidade. Isso porque, aos 65 anos,um leitor acumulou muita experiência, vocabulário e conhecimento através do livro. A leitura é um apoio importantíssimo para o processo de aprendizagem em todas as idades. Segundo dados da pesquisa do Ibope existe uma relação direta no hábito da leitura com o hábito de estudar, pessoas que leem mais estudam mais. Por isso, caro leitor, leia um livro. Livros podem nos ajudar a chegar mais longe na vida profissional e sermos mais felizes.

União Europeia acredita em recomeço após Brexit

Ao contrário de Jean-Claude Juncker, membro da Comissão Europeia (CE), Donald Tusk, que atualmente preside o Conselho Europeu, vê com bons olhos a ruptura realizada pelo Reino Unido. Ainda em 2016 houve o plebiscito que decidiu por tal separação. A formalização do processo se dá por meio de uma carta mundialmente conhecida por Brexit, que foi entregue no mês de março de 2017. Tusk alegou que, embora se trate de um momento triste para o bloco, o acontecimento fortalece a união dos países remanescentes.

Quando o houve o anúncio de que o Reino Unido não desejava fazer mais parte da União Europeia (UE), ocorreu grande comoção por parte dos gestores do bloco, no sentido de não se causar alvoroço popular. A tomada de decisão fez com que muitos dissessem tratar-se de um momento propício para que os componentes restantes aprimorem seus objetivos. Aconteceu também uma espécie de tratado onde os 27 países firmaram compromissos como o de uma imigração realizada de modo humanizado, por exemplo.

Alguns projetos em pauta na UE não eram levados adiante por conta da exigência de unanimidade de aprovação dos países membros. Na última reunião houve a queda dessa regra que pode contribuir para a solução de questões que demandam urgência. Para Shada Islam, líder do Friends of Europe, um grupo que promove reflexão acerca da saída do Reino Unido, os europeus abandonaram o discurso pessimista que era comumente presente logo após a declaração de separação do bloco.

Segundo Islam, apesar da falta que o Reino Unido irá fazer, a população europeia tem acreditado que a UE recuperará o fôlego. Já Tusk explicou que os países que restaram agirão como se fossem um mesmo território diante dos trâmites do Brexit. Ele também acredita que os britânicos constituirão grandes parceiros comerciais. Estima-se que a separação se dará através de um processo que durará aproximadamente 2 anos.

Diante dos milhares de europeus que residem no Reino Unido e também dos britânicos presentes em algum país da UE, Tusk procurou tranquilizar todos os envolvidos, apesar de nenhum dos dois lados expressar claramente como será a política referente à questão humanitária dos próprios habitantes em solo estrangeiro e também dos imigrantes como os brasileiros que escolheram morar em algum desses locais. Assuntos como educação, trabalho, aposentadoria e saúde prometem aquecer as negociações do bloco até a conclusão do processo.

Os países que restarão na UE apresentarão um plano por intermédio de Tusk. Originário da França, Michel Barnier atuará como mediador da separação. As duas partes envolvidas ainda não esboçaram quais são os rumos que tomarão em relação aos problemas de caráter social. Theresa May, primeira-ministra do Reino Unido, pretende aproveitar o momento de realização dos trâmites para estabelecer de que modo ocorrerão as relações diplomáticas dos envolvidos.

Saiba mais