2016 novo recorde de temperatura global

2016 foi o terceiro ano consecutivo a quebrar o recorde global de temperatura como o ano mais quente já registrado, algo que já era esperado. Cientistas da NASA e NOAA afirmaram que 2016 foi o ano mais quente já registrado, a temperatura da Terra ficou 0,94°C acima da média do século 20, determinada como marco zero para avaliação.

Para fazer a conta da temperatura média é evado em consideração temperatura de todo o globo terrestre. O segundo colocado como ano mais quente, 2015, teve uma temperatura de 0,9°C acima da média.

Entre os dez anos mais quentes já registrado, apenas 1998 não é do século 21, foi um ano com El Niño muito forte. O fenômeno é caracterizado pela elevação da temperatura no oceano Pacífico, alterando o clima de todo o mundo, deixando algumas regiões mais quentes e chuvosas.

O El Niño afetou muito a temperatura em 2016, sendo um dos responsáveis pela elevação da temperatura. Porém, os cientistas afirmam que a principal causa é a contínua emissão de dióxido de carbono e outros gases responsáveis pelo aquecimento global.

Também em 2016 foi o ano em que entrou em vigor o Acordo de Paris, acordo contra as mudanças climáticas cujo objetivo é manter o aumento da temperatura média mundial muito abaixo de 2°C, e ainda reúne esforços para limitar o aumento a 1,5°C.

Recordes de temperatura também foi registrado na Rússia, algumas partes chegaram a ficar 6°C acima da média histórica. No Alasca também houve um registro de 3°C positivo. Na região do Canadá foi registrada uma queimada de 590 hectares, considerada a maior. Já no Brasil, as regiões Norte e Nordeste tiveram a temperatura média mais alta. O resto do país também ficou acima da média.

O acontecimento não foi surpresa para os cientistas, pois já havia sido previsto que ocorreria o aquecimento gradual na Terra por conta da contínua emissão de gases. Pesquisadores afirmam que eventos como enchentes, furacões e queimadas é uma amostra do que virá. Como exemplo, as enchestes que atingiram São Paulo e a seca recorde do Nordeste. O aquecimento global trará impactos sociais, como um aumento de disputas, conflitos por recursos e recuo territorial por conta do avanço do mar.